Dólar Em baixa
5,600
22 de julho de 2024
segunda-feira, 22 de julho de 2024
Vitória
21ºC
Dólar Em baixa
5,600

Justiça nega liberdade provisória ao pastor Georgeval e inicia preparativos do júri

A Justiça negou liberdade provisória ao pastor Georgeval Alves, acusado de estuprar o filho Joaquim, de três anos, e o enteado Kauan, de seis, e atear fogo no quarto em que dormiam as duas crianças, em abril de 2018. Para o juiz Tiago Fávaro Camata, a prisão de Georgeval garante a ordem pública e assegura a aplicação da lei penal, tendo em vista “a gravidade concreta dos crimes supostamente praticados”.

Na mesma decisão, o juiz também determinou as providências práticas para instauração do Tribunal Popular do Júri em que será julgado o pastor. Na última sexta-feira (24), o processo criminal foi enviado ao Ministério Público Estadual (MPES), para que órgão indique as testemunhas que serão ouvidas em plenário.

Posteriormente, os advogados de acusação Síderson Vitorino e Lharyssa Carvalho vão ser intimados, para, em seguida, ser a vez da defesa de Georgeval.

Para a acusação, “a instauração do Tribunal do Júri representa a certeza de que o pastor Georgeval será condenado e pagará pelos crimes que cometeu”.

ESHoje procurou a defesa do acusado para ter um posicionamento sobre a decisão. Assim que tivermos retorno, o texto será atualizado.

Resumo do caso: 

Matheus Passos
Matheus Passos
Graduado em Jornalismo pelo Centro Universitário Faesa, atua como repórter multimídia no ESHoje desde abril de 2021. Atualmente também apresenta e produz o podcast ESOuVe. Ingressou como estagiário em junho de 2019. Antes atuou na Unidade de Comunicação Integrada da Federação das Indústrias do Estado (Findes).

Você por dentro

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Escolha onde deseja receber nossas notícias em primeira mão e fique por dentro de tudo que está acontecendo!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Notícias Relacionadas