gaeco2O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça Criminal de Colatina e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Central), ofereceu denúncia à Justiça contra seis pessoas investigadas na Operação “O Facilitador”, que apura crimes de facilitação de fuga de detentos e corrupção, relacionados a dois presos do Centro de Detenção Provisória de Colatina (CDP-COL).

A denúncia aponta que um ex-inspetor prisional Luiz Claudio de Souza, preso no último dia dia 6, recebeu R$ 4 mil dos familiares dos dois detentos para garantir a fuga de Fábio Rocha Anesio e Wanderson Gomes, no dia 20 de janeiro de 2018. Desse total, R$ 3 mil foram da mãe de um deles, e outros R$ 1 mil da companheira do outro preso, valor entregue pela irmã do fugitivo. Todos foram denunciados pelo MPES.

Conforme os autos, o ex-inspetor, que atuava por contrato temporário e foi exonerado pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) logo após o ocorrido, retirou os dois internos das celas para trabalharem na área externa do CDP-COL, sem autorização da direção da unidade. No momento em que os detentos simulavam trabalhar na área externa, foram resgatados por um veículo que parou na frente da Unidade Prisional. Os dois continuam foragidos.

As investigações mostraram que o ex-inspetor adotava conduta incompatível com a função, na medida em que mantinha “estreito relacionamento com os detentos e seus familiares e se valia deste vínculo para realizar ‘pequenos favores’, como a troca de mensagens e recados, utilizando-se desse modo de agir para obtenção de vantagens indevidas”, diz trecho a denúncia.

Luiz Claudio de Souza foi denunciado por facilitação de fuga de preso e corrupção passiva. Os demais vão responder por oferecer vantagem ilícita a funcionário público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *