Dólar Em alta
5,355
13 de junho de 2024
quinta-feira, 13 de junho de 2024
Jessé Marques
Jessé Marques
Jessé Marques, bacharel em Ciências Econômicas com especializações nas áreas de Negociação, Planejamento e Gestão Estratégica. Atuou por mais de 27 anos nos setores de Transporte Rodoviário de Passageiros e Papel e Celulose, além de ocupar cargos no setor governamental e Terceiro Setor.

Decisões acertadas

Por volta dos meus quarenta anos de idade, tomei importantes decisões acerca do meu estilo de vida que passaram a afetar definitivamente a minha trajetória pessoal e profissional, desde aqueles tempos, até os dias de hoje. Por exemplo, decidi parar de fumar (cigarro comum) por compreender que aquele vício poderia me impedir de acompanhar o crescimento do meu último filho, nascido sete anos antes.

É desta época também, a convicção assimilada por mim até hoje, que exerço, com maior eficiência e melhor diferencial competitivo, os diversos papéis que assumo, por adotar sistematicamente o planejamento estratégico e a análise criteriosa de riscos, como fatores indissociáveis dos processos decisórios aos quais sou exposto. Adotando sempre, padrões de razoabilidade e elevado nível de racionalidade, muitas vezes, até excessivos.

De fato, não aprendi a atuar no modo operacional, possivelmente por ter sido exposto por pouquíssimo tempo dentro dessa modelagem. Basicamente apenas nos primeiros anos de atividade profissional, associados com os primeiros anos de vida conjugal, de quase quatro décadas. Quando tenho que fazê-lo, sinto-me inseguro e insatisfeito, por não ter avaliado essa “variável” previamente, e por consequência, ter planejado sua execução. Diferentemente da maioria das pessoas, que se sentem mais confortáveis em tomar decisões à medida que os problemas surjam e evoluam.

É lógico que essa performance não é desejada por mim, muito pelo contrário, mas é o que sou, fruto de uma longa atuação em situações que requereram decisões lógicas, racionais, rápidas e, ao mesmo tempo, planejadas. Muitas vezes chego a sentir-me só, sem ter com quem compartilhar a “alegria” da criação de uma estratégia ou a criação de um novo modelo. Geralmente a grande maioria do meu entorno está ansiosa para “o que fazer”, enquanto eu estou propondo “o porquê fazer”.

Mas, diante de situações disruptivas e desafiadoras, sinto-me renovado e animado, como um profissional de início de carreira ou um marido em inicio do casamento. Concentro todo meu foco e atenção para propor caminhos, sugerir estratégias, criar uma ambiência favorável ao trabalho em equipe e motivar cada um individualmente para a caminhada coletiva em busca dos resultados pretendidos.

Sempre comento com amigos, colegas de trabalho e familiares, que, na próxima reencarnação, certeza inabalável, como a existência do ar que respiro, se pudesse pedir algumas capacidades a Deus para a nova jornada de aprendizagem, pediria mais leveza, descontração e crença na predestinação. Tudo que não tenho, nem terei nessa passagem existencial!

Jessé Marques
Jessé Marques
Jessé Marques, bacharel em Ciências Econômicas com especializações nas áreas de Negociação, Planejamento e Gestão Estratégica. Atuou por mais de 27 anos nos setores de Transporte Rodoviário de Passageiros e Papel e Celulose, além de ocupar cargos no setor governamental e Terceiro Setor.

Você por dentro

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Escolha onde deseja receber nossas notícias em primeira mão e fique por dentro de tudo que está acontecendo!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Notícias Relacionadas