Mario Augusto Teixeira

Vida de concurseiro não é fácil. São horas diárias de muito estudo e concentração, leituras e técnicas de otimizar o tempo para dar conta de estudar aquilo que cai em todo concurso, a parte especial do cargo disputado, além daquele plus que fará a diferença dos demais candidatos. Não podemos esquecer das atualizações legislativas e informativos do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal, além de estar sempre atento para saber sobre a última edição daquele livro, ou sobre o novo artigo daquele autor renomado que a Banca Examinadora adota.

E por falar em Banca Examinadora… Cada concurso é realizado por bancas diferentes, que elaboram as provas cada uma ao seu estilo, demandando do candidato análise sobre o tipo de questão, o método de abordagem dos assuntos, as correntes doutrinárias e jurisprudenciais mais adotadas, etc.

Só de pensar nisso tudo já me cansei. Mas você, concurseiro, não pode se cansar. Tem que lavar o rosto, tomar um café e fazer o download da última prova da Banca Examinadora daquele cargo. Depois de esgotado, você resolve sair para relaxar, beber com os amigos, mas, no meio da noite, a consciência acusa: o meu concorrente, a essa hora, está estudando a Constituição Federal.

Realmente, vida de concurseiro não é nada fácil. É um longo tempo da vida de investimento sem um retorno garantido, nem mesmo expectativa de prazo para ver os resultados.

Imagine que depois de tudo isso você é injustamente eliminado do concurso, pois foi declarada como correta uma questão que é errada! Imagine que na sua prova discursiva foram descontados pontos por erros de ortografia que você não cometeu, ou que você foi injustamente eliminado no exame psicotécnico, sem oportunidade de recurso? Infelizmente estas são apenas algumas das situações reais pelas quais passam todos os concurseiros.

É exatamente para lhe ajudar que o ESHOJE está lançando uma série de artigos voltados para tratar dos direitos dos candidatos na sua relação com a Administração Pública, que abordarão situações práticas pelas quais passam os concorrentes, fazendo um exame do regramento jurídico dado aos concursos públicos, com suporte na doutrina especializada e no entendimento dos Tribunais Superiores.

Os artigos serão publicados semanalmente, às terças-feiras. A próxima edição trará os princípios norteadores dos concursos públicos. Fique atento! 

Mario Augusto Teixeira
Advogado da Gonçalves Advogados Associados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *