Dermival GalvãoO ex-vereador de Vitória e médico, Dermival Galvão (MDB), já está com seu bloco na rua, e anunciou que será candidato a prefeito da Capital, em 2020. “Não defini ainda a sigla que vou me filiar para essa maratona, estou me reunindo com parceiros, amigos e apoiadores para ajustar o melhor caminho”, disse Dermival. Uma das propostas do ex-parlamentar é a de recuperar a qualidade de vida do município (como é estressante tirar o carro da garagem em Vitória), que na análise dele pede soluções harmoniosas, principalmente em matéria de planejamento viário urbano, com projetos audaciosos que incluam elevados, túneis, nova avenidas, pistas e corredores exclusivos de motos e bicicletas, entre alternativas de tráfego.

O Aquaviário, sistema que ele vai pautar com o Governo do Estado e com os prefeitos dos municípios de Vila Velha, Cariacica, Serra, Fundão e Guarapari, segundo ele, nunca deveria ter sido fechado e sim ampliado, pois evitaria o excesso de veículos das cidades vizinhas como Vila Velha, Serra e Cariacica, em Vitória. “A nossa Capital é um dos mais antigos municípios brasileiros onde os problemas de trânsito são mais numerosos e flagrantes, porque as ruas são estreitas e não foram projetadas para um trânsito tão pesado, como o de agora. A cidade está estrangulada e inviável para se andar de carro, principalmente nos horários do rush. Se um carro quebrar entre a Praça Oito e o Palácio Anchieta, na Avenida Jerônimo Monteiro, no centro da Capital, por exemplo, a cidade pára. Causa o maior transtorno no trânsito e ninguém consegue chegar em casa ou no serviço no horário. É uma loucura. Então há uma necessidade urgente, de um Planejamento Viário Urbano para ser implantado em Vitória com o objetivo de dar mais mobilidade ao trânsito” disse Dermival.

            “Então quando digo que temos que ser audaciosos, o projeto de implantação de dois elevados entre a Ilha do Principe e o Forte São João, será uma alternativa que dará maior mobilidade ao fluxo de veículos na cidade, no sentido centro Cariacica e Vila Velha e no sentido centro Serra. Porém, ao que me parece, a maior parte do planejamento viário acabou indo parar nas prateleiras das bibliotecas sem ter chegado às ruas. O resultado desse desleixo é: o desenvolvimento está acontecendo e a cidade está sendo massacrada. Então, como tenho dito, o aprimoramento do sistema viário e de trânsito da Capital passa a ser visto como a única forma de resolver os problemas da cidade, deixando de lado todos os outros aspectos”.

Dermival vai reativar o medico de família, investir alto na Educação, em parceria com o Estado e o governo Federal vai ampliar a segurança na Capital, entre outros projetos de interesse da população. Experiente com cinco mandatos de vereador na Capital, Dermival Galvão revelou que desde 1988, quando foi eleito pela primeira vez, “as igrejas, católica e evangélica, sempre me apoiaram pelo meu trabalho com os menos favorecidos”.  Quando assumiu o cargo de Prefeito Municipal de Vitória por um período de oito dias, procurou manter todas as diretrizes do executivo que beneficiaram e muito a população da Capital.

“Como parlamentar do município, não só me preocupei com as propostas de leis, e sim também, no trabalho humanitário que desenvolvo para ajudar os menos favorecidos. Por isso, quero aqui neste momento, dizer que se eleito prefeito, vou aproveitar para aquilo que sempre gostei o de atender os anseios do povo da Capital e serei fiel aos compromissos assumidos com a população”.

Pó preto e Rio Doce esquecidos
A Assembleia Legislativa do Espírito Santo – ALES instalou os trabalhos da legislatura que vai até 31 de janeiro de 2023 e passou uma borracha em tudo que aconteceu nas legislaturas anteriores. Ou seja, o “pó preto” que mata mais do que as duas barragens de Mariana e Brumadinho em Minas e a situação do Rio Doce, são paginas viradas na ALES.   Durante a sessão solene da última segunda-feira (4), parlamentares fizeram pronunciamentos sobre a situação de Brumadinho e colocaram na pauta da casa de Leis a situação das barragens no estado.  Ou seja, “pó preto e Rio Doce” são coisas do passado…

Isenção aos EUA
Há 56 anos, no dia 7 de fevereiro de 1963, o então presidente da República, João Goulart, sancionou a lei 4.204/63. A norma isentou da obrigação de se obter o visto consular os desportistas, cidadãos de países americanos, que pretendiam participar dos Jogos Pan-Americanos de 1963, realizados no Brasil.

CPI do Infinity na ALES
Na sessão ordinária dede ontem quarta-feira (6), o suplente-deputado José Eustáquio de Freitas (PSB) tomou posse como deputado estadual. Em seu quarto mandato na Assembleia Legislativa, ele assume a vaga deixada pelo colega de partido Bruno Lamas, que se licenciou para ser titular da Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades). Freitas era o primeiro suplente da coligação PSB-DC. Será que vamos ter a abertura de uma CPI para apurar o tombo de R$ 57 milhões do Banestes!

por Paulo Cesar Dutra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *