estudantesNa tarde desta quinta-feira (20), 236 estudantes que participaram da 13ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) foram premiados pelo Governo Estadual. A competição contou com mais de 17 milhões de inscritos em todo o Brasil.

A cerimônia de premiação aconteceu no Palácio Anchieta. Os estudantes, de diversas regiões, garantiram para o Espírito Santo 17 medalhas de ouro, 59 de prata e 160 de bronze. O auditório estava repleto de pais e responsáveis dos alunos que registravam a emoção deles nas telas dos celulares. A cada nome chamado, todos vibravam de alegria.

Os estudantes passaram por uma série de provas eliminatórias. No Espírito Santo, foram inscritos 24.686 estudantes, sendo 7.053 da rede pública estadual e 17.633 das redes municipais.

Ednelson Alves Borges, pai do estudante Álvaro, afirmou viajou 356 km, saindo do município de Montanha, para acompanhar a premiação do filho medalhista.

“Estar aqui nos faz acreditar que nossos filhos podem mais. Perseverar e ser presente são ações que tem ajudado na criação dos meus filhos. Pai que acompanha o filho tem resultados excelentes. Estou muito feliz de estar aqui hoje”.

A aluna Bianca Dias, de 14 anos, diz que a competição traz incentivos. “É muito importante participar dessa competição, tanto que nos proporciona conhecimento e momentos muito bons, como por exemplo, receber a medalha. Além disso, as questões são boas de praticar e estudar. Ela nos dá incentivo tanto para conseguir a medalha e para conhecer novas pessoas”.

“Foi um trabalho duro, mas tem seu lado bom, pois o estado recompensa nosso esforço, reconhecendo os talentos. Receber a homenagem foi maravilhoso. Para o futuro, vamos devagar, superando cada novo desafio que surgir. Eu sinto que coisas boas me esperam lá na frente”, disse o estudante Luiz Adolfo, 14 anos.

O estudante Hiarley Augusto Schaefer, 15 anos, afirma que teve o apoio dos pais, da escola e já pensa na faculdade. “Foi bastante difícil, mas tive bastante apoio dos meus pais, dos meus mestres. A escola pública ajuda bastante a fazer o melhor. Achei a homenagem bem legal, ela é importante, porque incentiva outros alunos a quererem participar. E os desafios a seguir ficam mais fáceis quando a gente tem esse incentivo. Ao ganhar a medalha, lá na frente, ao fazer faculdade, nós temos um caminho a percorrer”.

A medalhista de ouro, Luiza Mattedi, de 15 anos, conta que desde criança gosta da disciplina e desde sempre teve o apoio dos pais. “Matemática para mim sempre foi algo importante que minha mãe me ensinou desde pequena. E quando eu soube que tinha a olimpíada, desde o 6º ano, sempre quis participar. Então, eu fui ganhando medalhas. Sempre foi muito gratificante conseguir algum resultado e sempre é muito bom conseguir”.

O secretário de educação, Haroldo Rocha afirmou que o Estado, quando se trata de matemática, está no caminho certo, alcançando países desenvolvidos. “Eles têm padrão internacional. Não são medalhistas do Espírito Santo, são medalhistas do Brasil. E agora, nós fazemos parte dos 10 países em que a matemática é mais difundida, aprendida e pesquisada”.

Ele ainda completa que a disciplina é importante para a sociedade. “Queremos deixar uma mensagem clara para a sociedade, para os pais, crianças e jovens, que a matemática precisa ter um destaque especial, pois ela faz parte do desenvolvimento do país”.

A OBMEP é promovida pelos ministérios de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e da Educação (MEC), e é uma realização do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

O objetivo é estimular o estudo da matemática e revelar talentos na área. Para incentivar a participação dos alunos são distribuídos materiais didáticos, oferecidas bolsas de iniciação científica aos estudantes e é feito o reconhecimento aos educadores, escolas e secretarias.

Por Heberton Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *