Dólar Em alta
4,928
21 de fevereiro de 2024
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Meneguelli acumula primeiro ano de Assembleia cheio de polêmicas

Deputado estadual mais votado da história do Espírito Santo, Sergio Meneguelli (Republicanos) chegou à Assembleia Legislativa em meio a diversas expectativas. O que se percebeu, até o momento, foi o envolvimento dele em polêmicas marcadas, basicamente, por sua conduta.

Sua primeira cruzada foi contra os costumes da Casa de Leis, quando tentou retirar a obrigatoriedade do uso do terno e gravata para homens nas sessões no Plenário Dirceu Cardoso. Sua alegação era de que isso não fazia parte do estilo dele. Enquanto se tratava da moléstia no intestino, ele recebeu permissão para que pudesse usar roupas mais confortáveis.

Meneguelli, em uma de suas falas, chegou inclusive a alegar que o projeto que normatizou o uso de terno e gravata seria para transformar os deputados estaduais em “almofadinhas”, o que foi rechaçado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Santos (Podemos). Esta foi a primeira rota de colisão do ex-prefeito de Colatina contra o parlamentar de Cariacica.

O novo episódio de rusgas envolveu a votação do ICMS. Sergio Meneguelli, altamente criticado nas redes sociais por ter tido seu voto contabilizado como favorável ao aumento da alíquota, tentou justificar de todas as formas que não votou e que houve algum tipo de “bravata” na condução da apreciação da matéria.

O colatinense gravou um vídeo em que alegou estar à sala anexa do plenário; depois, disse que estava no banheiro. Por fim, direcionou petardos à Presidência, o que rendeu até em reação de Marcelo.

Poder ESHOJE apurou que não houve qualquer tipo de justificativa para afirmar que a votação foi feita de modo surpreendente. A pauta daquele dia (27 de novembro) foi enviada aos deputados antes do meio-dia, sendo que a sessão estava marcada para 15h, ou seja, havia ciência prévia tanto para o parlamentar quanto para a sua equipe.

Com experiência de plenário, de vida política e sabedor dos trâmites, Meneguelli, teoricamente, teria noção de que o requerimento de urgência presente na pauta era sinônimo de que ocorreria uma sessão extraordinária para apreciação do tema.

Outro ponto importante: quando a sessão extraordinária para a votação do ICMS foi aberta, o ex-prefeito de Colatina foi logo o terceiro a registrar presença. Logo, sabia do que estava para acontecer. Ele, inclusive, tem sua presença verificada nas gravações de vídeo enquanto o vice-líder do governo, deputado estadual Tyago Hoffmann (PSB), abre os trabalhos para discussão da pauta. Foram 25 minutos de debate.

Para o bem ou para o mal, Marcelo conduziu a votação com todos os presentes cientes de que seria do modo simbólico. Cada um dos presentes poderia jogar com o regulamento debaixo do braço. Ao presidente, aliado do governo, bastava o artigo 201 do Regimento Interno da Assembleia: “Pelo processo simbólico, o Presidente, ao anunciar a votação de qualquer matéria, convidará os Deputados a favor a permanecerem como estão e os contrários a se manifestarem verbalmente, e proclamará o resultado”.

Para a oposição, caberia usar o primeiro parágrafo do artigo 201: “Se algum Deputado tiver dúvida quanto ao resultado proclamado, deverá pedir imediatamente verificação de votação que será, em qualquer hipótese, deferida”. Meneguelli e nem a oposição fizeram uso da manobra.

Ao colatinense, menos de dois minutos depois, restou pedir licença para ir em direção ao evento de lançamento da autobiografia dele. Ele, inclusive, viu que outras matérias foram votadas e não demonstrou a indignação que veio a reboque nos dias seguintes.

Nos corredores da Casa de Leis, é corriqueiro o comentário de que Meneguelli está se isolando e acumulando desafetos. Não se pode balizar um parlamentar pela sua produção de leis, mas até agora ele só tem duas, e que têm impactos mais simbólicos, como tornar a Festa da Polenta em patrimônio cultural imaterial e declarar Itapemirim como a capital estadual do Atum e do Dourado. Não há, a priori, grandes retornos para educação, saúde e emprego com essas medidas.

O deputado entende a linguagem da internet e, aparentemente, sentiu o impacto das críticas por ele ter ficado com voto favorável ao aumento da alíquota, “ainda que não tenha votado”, segundo o própria. Sabe que reagir pode ser uma forma de consertar o dano à imagem. Mas será que vale tudo na tentativa de remendar um problema? E qual a consequência em colecionar inimizades?

A situação do ICMS dá o tom do primeiro ano de Sergio Meneguelli na Assembleia: ou está “perdido”, ou está roteirizado em um personagem, que se cerca de algumas polêmicas. É muito pouco, com todo respeito, a alguém que recebeu 138.523 votos.

Reação

Em nota publicada à imprensa, Marcelo Santos declarou que causou “estranheza” a reação enérgica de Meneguelli pedindo a anulação da votação do ICMS. Também rechaçou a alegação da falta de transparência e “que essa Presidência não ficará inerte perante qualquer tentativa de ofensa institucional”. O caldo entornou.

Quieto

Na sessão desta terça-feira (5), Meneguelli não se pronunciou sobre a celeuma. Só fez a defesa a respeito da concessão do vale-gás às famílias de maior vulnerabilidade soicial. E dizem que só foi ao banheiro ao fim da reunião.

Pacotão

A Assembleia Legislativa aprovou diversos pacotes governamentais nesta terça-feira (5), como do vale-gás, do ICMS solidário, da regulamentação da Polícia Penal e da Polícia Científica, além dos aumentos salariais às categorias da segurança pública.

Ficou para trás

Só ficou para trás o projeto que reorganiza a Secretaria de Estado do Governo.

***

Crise climática

Autoridades devem iniciar, até o fim desta quinzena, reuniões semanais para debater a crise climática no Espírito Santo. Dezembro está com previsão de poucas chuvas, o que deverá agravar os problemas hídricos.

Bombeiros temporários

Bombeiros estudam proposta para criação de cargos de bombeiros temporários, com o objetivo de reduzir o déficit e contratar servidores específicos. Matéria já foi adotada em outros estados e um projeto de lei poderá ser apresentado no ano que vem.

F5

Servidores da Prefeitura de Vitória acompanham, com muita curiosidade, o site da Câmara de Vitória. A motivação é para saber se o projeto de lei, que concede abono, já foi protocolado e quanto será o valor da bonificação.

Arnaldinho recebe

Meneguelli acumula primeiro ano de Assembleia cheio de polêmicas

O prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo (Podemos), recebeu o deputado estadual Alcântaro Filho (Republicanos), cuja base é em Aracruz. Como se especulam, ambos deverão disputar eleições municipais no ano que vem – e cada um no seu canto, obviamente.

***

A caminho do Progressistas?

O ex-deputado Doutor Hercules (Patriotas), segundo bastidores, pode ser o puxador de votos do Progressistas no pleito para a Câmara de Vereadores de Vila Velha.

Melhor do Sudeste

O Tribunal Regional Eleitoral do Espírito (TRE-ES) atingiu a pontuação de 88% e recebeu o Selo Prata, passando na frente dos TREs de São Paulo e Rio de Janeiro, com 87,1% cada, e do TRE de Minas Gerais, com 86,8% de pontuação nos requisitos do Conselho Nacional de Justiça, sendo o melhor do Sudeste. A cerimônia de premiação foi realizada na manhã desta terça-feira (5), em Salvador, na Bahia.

Medalha

Ainda sobre o TRE-ES, seu presidente, desembargador José Paulo Calmon Nogueira da Gama, foi agraciado pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) com a Medalha do Mérito Judiciário por seu relevantes serviços para o aperfeiçoamento do Judiciário no estado do Espírito Santo.

Destaque eleitoral

Na próxima quinta-feira (7), às 17h30, o TRE-ES fará a entrega da Medalha do Mérito Educação Eleitoral Emiliana Emery para diversas autoridades com passagem destacada pela Justiça Eleitoral, tais como o procurador da República, Julio Cesar de Castilhos Oliveira Costa; a procuradora-geral de Justiça, Luciana Gomes Ferreira de Andrade; e a juíza de direito, Heloisa Cariello.

Protagonismo

Emiliana Emery foi a primeira mulher a obter o direito de votar no Espírito Santo, em 1929, após o juiz Aloysio Adrito de Menezes, da Comarca de Alegre, conceder a garantia de que participaria das eleições como eleitora. O sufrágio feminino no Brasil só foi aprovado em 1932, por um decreto do então presidente Getúlio Vargas.

***

Fale com a coluna

Nosso e-mail é [email protected].

Na moita

Comportamento de um político tem deixado colegas estarrecidos. Falta de educação e falta de noção sobram.

Tá na rede

“O Dia Mundial do Solo, celebrado em 5 de dezembro, destaca a importância do solo para a humanidade. Uma oportunidade única para contemplar o tratamento que este recurso natural finito recebe por parte da humanidade”

Evair de Melo (Progressistas), deputado federal

Você por dentro

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Escolha onde deseja receber nossas notícias em primeira mão e fique por dentro de tudo que está acontecendo!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas no Poder ESHOJE

Notícias Relacionadas