Dólar Em alta
5,355
13 de junho de 2024
quinta-feira, 13 de junho de 2024
Vitória
24ºC
Dólar Em alta
5,355

Operação mira CACs acusados de desviar armas para quadrilhas do novo cangaço

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Polícia Federal e o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) fazem operação na manhã desta terça-feira (21), em quatro estados, contra CAC’s (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador) suspeitos de fornecer armamentos e munições para quadrilha do Novo Cangaço.

Nessa modalidade de crime, membros de organizações criminosas cercam cidades, onde causam verdadeiro terror com troca intensa de tiros, e atacam geralmente agências bancárias e caixas eletrônicos.

No total, foram cumpridos 13 mandados de prisão temporária e 24 mandados de busca e apreensão domiciliar em São Paulo, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo, Guarulhos, Piracicaba, Mairinque, Buri, Xique-Xique (BA), Timon (MA) e Corrente (PI).

Segundo o Gaeco, 11 alvos da operação foram presos até as 9h desta terça. Dois seguem foragidos. Outras três pessoas foram presas em flagrante durante a operação.

A investigação começou depois de uma tentativa de roubo em abril de 2023, na cidade Confresa, em Mato Grosso. Na ocasião, cinco suspeitos foram presos e 18 mortos no confronto com as forças de segurança.

Segundo a Promotoria, essa e outras ações semelhantes foram financiadas por integrantes do PCC que atuam no tráfico de drogas e na lavagem de dinheiro. Além disso, a investigação revelou que os principais fornecedores de armas e munições utilizadas pelo PCC são CACs.

A operação também conseguiu o bloqueio de contas e o sequestro de bens no valor de até R$ 4 milhões.

A ação contou com apoio operacional de equipes da Rota, da 10ª Companhia de Força Tática e do 10º BAEP da Polícia Militar.

POLICIAIS E CACS SÃO ALVOS DE OPERAÇÃO NO NORDESTE

Em outra operação na manhã desta terça-feira, no Nordeste, a PF faz operação contra organização criminosa formada por policiais militares da Bahia e Pernambuco, proprietários de lojas de armas e munições e CACs.

A operação, batizada de Fogo Amigo, investiga uma quadrilha suspeita de vender armas e munições de forma ilegal para facções criminosas nos estados da Bahia, Pernambuco e Alagoas.

A Justiça determinou o cumprimento de 20 mandados de prisão, dos quais 18 já foram cumpridos até as 9h desta terça. Também estão sendo cumpridos 33 mandados de busca e apreensão nos três estados nordestinos.

Foi deferido o sequestro de bens e bloqueio de recursos dos investigados que chegam a R$ 10 milhões. Ainda foi determinada a suspensão das atividades de três lojas que vendiam material bélico de forma irregular.

A operação envolve Polícia Federal, Exército, Polícia Civil da Bahia, além das Polícias Militares e Ministérios Públicos estaduais da Bahia e Pernambuco. Cerca de 325 pessoas estão envolvidas na operação.

FRANCISCO LIMA NETO

Você por dentro

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Escolha onde deseja receber nossas notícias em primeira mão e fique por dentro de tudo que está acontecendo!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Notícias Relacionadas