Dólar Em alta
4,928
21 de fevereiro de 2024
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Vitória
23ºC

Dólar Em alta
4,928

Um a cada 10 mil bebês nasce com a síndrome do filho do Zé Vaqueiro

O cantor de forró Zé Vaqueiro tem sido duramente criticado nas redes sociais por viajar com a família para comemorar o aniversário da esposa enquanto o filho recém-nascido completa três meses de internação na UTIN devido a Síndrome de Patau. Mas, afinal, que doença é essa?

A Trissomia 13, também conhecida como Síndrome de Patau e Power-Hamilton, é uma doença cromossômica, caracterizada como a duplicação do cromossomo 13. A síndrome é causada devido a uma mutação genética que ocorre de forma aleatória, com estimativa de acometimento em 1 a cada 10 mil nascidos vivos.

Os dados pertencem a pediatra e neonatologista, Larissa Perim. A especialista explica que uma pessoa com síndrome genética possui mutações no material genético (DNA) que ocasionam alterações nas funções das células e, consequentemente, na saúde e características da pessoa acometida. “Essa síndrome gera múltiplas malformações, acometendo o sistema nervoso central, coração, sistema digestivo, rins, olhos, ouvidos, boca, entre outros”.

Segundo a neonatologista, o diagnóstico da síndrome é realizado através do exame de ultrassonografia morfológica entre 16 e 23 semanas de gestação, que consegue detectar essa síndrome em cerca de 90%. “A confirmação da Síndrome de Patau é feita por meio de testes genéticos, com material coletado do feto, ou do sangue do bebê, após nascimento”.

Larissa Perim aponta que, dependendo das estruturas acometidas, é possível identificar a presença da síndrome, sendo mais comum: microcefalia, malformações graves do sistema nervoso central, retardo mental, dificuldade do desenvolvimento estatural e ganho ponderal, defeitos na formação dos olhos ou ausência dos mesmos, cegueira, surdes e malformações das orelhas, além de fenda palatina e lábio leporino, rins policísticos, cardiopatias, polidactilia (mais de 10 dedos nas mãos ou pés), malformações de dedos, entre outros.

Além de rara, a Síndrome de Patau não tem cura, elucida a especialista. “Os tratamentos realizados tem o objetivo de minimizar os danos das malformações. A maioria dos indivíduos falece ainda na primeira infância e as intervenções realizadas são paliativas. O objetivo principal é dar conforto e condições dignas para os pacientes”.

Você por dentro

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Escolha onde deseja receber nossas notícias em primeira mão e fique por dentro de tudo que está acontecendo!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Notícias Relacionadas