Vitória -O preço do metro quadrado para venda em Vitória vem aumentando desde junho deste ano. É o que aponta o Índice Ademi-ES/VivaReal, que acompanha o desempenho do mercado de imóveis prontos verticais em Vitória e Vila Velha. Na amostragem de outubro, a capital capixaba registrou preço médio de R$ 5.864, ante R$ 5.682 em setembro. A variação nominal entre os meses de setembro e outubro, por exemplo, chegou a 0,53%. Ou seja: uma valorização bem acima da inflação.

Este desempenho é resultado da redução dos estoques, combinado com a valorização contínua dos imóveis à venda registrado ao longo dos meses. A variação nominal do preço médio do metro quadrado em percentual em Vitória está acima de outras capitais, como São Paulo (- 0,31%) Florianópolis (0,27%), João Pessoa (0,16%), Goiânia (0,29%) e Recife (0,08%). Já o preço médio de Vila Velha permaneceu praticamente estável desde junho, que registrou R$ 4.750 e agora, em outubro, chegou a cifra de R$ 4.762. A capital capixaba ocupa a 11ª posição e Vila Velha o 25º lugar no ranking das 30 cidades brasileiras pesquisadas pelo portal VivaReal.

Em se tratando de locação, Vila Velha ocupa a 22ª posição e Vitória o 25º lugar no ranking nacional, com preço médio do metro quadrado avaliado em R$ 15,45 e R$ 17,14, respectivamente em outubro. As duas cidades capixabas estiveram à frente das capitais Salvador, João Pessoa, Florianópolis e Recife.

Tipologias mais buscadas
No cenário de demanda para compra, o destaque ficou para os apartamentos de 4 quartos, que corresponderam a 17,6% da procura em Vitória no mês de outubro, contra 13,11% em setembro. No entanto, a oferta na cidade foi maior que a procura. Os imóveis de três quartos permaneceram líderes na busca, porém com uma ligeira queda em outubro, com 54,5% da preferência, ante 56,6%. A segunda opção mais buscada foram os apartamentos de dois quartos, registrando 25,3% da procurada em outubro e 26,3% em setembro.

No caso de Vila Velha, as unidades de quatro quartos tiveram a mesma performance observada na capital. O interesse saltou de 12,7% em setembro para 16,5% em outubro. O único diferencial entre as duas cidades é que o município canela verde detém mais oferta de imóveis com esta tipologia (25,3%) do que Vitória (20,1%).

Já em se tratando dos imóveis de dois e três quartos em Vila Velha, houve um empate em outubro, com 39,1% e 39,9%, respectivamente. Em setembro, a variação entre as duas tipologias foi maior. A primeira foi mais buscada por 35,3% da população interessada, enquanto que o de três quartos foi por 49,5%.

Com relação aos bairros mais desejados para compra na capital, Jardim da Penha aparece ela 1ª vez no topo da preferência, empatado com o bairro Praia do Canto, com 24% cada e Jardim Camburi em 3º lugar. Em Vila Velha, a demanda se manteve inalterada neste quesito, sendo Praia da Costa o bairro mais procurado (38%), seguido de Praia de Itaparica (24%) e Itapuã (20%). Para aluguel em Vitória, Jardim Camburi continua sendo o bairro mais procurado (40%), e em segundo lugar Praia do Canto (21% em outubro, ante 13% setembro), ou seja: um aumento de 61,54% e terceiro Jardim da Penha (16%).  Já em Vila Velha, os bairros mais demandados para locação foram: Praia da Costa (47%), Itapuã (23%) e Praia de Itaparica (19%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *