Foto: Divulgação / Pexel
Foto: Divulgação / Pexel

O verão é a época em que o brasileiro mais aproveita a praia e a piscina devido às altas temperaturas, mas também é o período em que algumas doenças costumam se manifestar. Entre as mais comuns estão a intoxicação alimentar ou hídrica, a micose, a insolação, a febre amarela e a dengue. Por isso, alguns cuidados com calor, umidade e exposição ao sol são necessários.

A umidade ajuda na proliferação de bactérias e fungos que podem gerar micoses, por exemplo. Além disso, as altas temperaturas são um dos fatores que levam à intoxicação com o consumo de comidas ou água contaminada. Sendo que essa condição pode levar à desidratação.

A contaminação pode ser causada por fezes ou vômitos de um doente após contato com a comida ou por moscas e insetos. Uma dica é sempre estar atento à segurança, qualidade e conservação dos alimentos.
E quem passa muito tempo ao sol tem que tomar cuidado com a insolação. É necessário beber pelo menos dois litros de água por dia, aplicar protetor solar e evitar os horários de maior concentração solar, entre 10 e 16 horas.

Chapéus, óculos de sol e roupas leves são essenciais para a proteção. Outro fator característico do verão é o aumento das chuvas e, consequentemente, dos mosquitos, entre eles um bem conhecido da população: o Aedes aegypti, transmissor da dengue e febre amarela, por exemplo.

Com relação à dengue, é importante não deixar água acumulada em jarros de flores, pneus, baldes de jardim, recipientes externos de geladeiras, no ar-condicionado ou qualquer outro lugar onde possa ocorrer esse acúmulo. Também é preciso checar a caixa d’água para saber se está devidamente vedada; se não estiver, é preciso colocar uma tela de proteção.

A febre amarela é transmitida em qualquer época do ano, mas foi no verão de 2017 que houve a maior incidência no Espírito Santo nos últimos anos. A Secretaria de Saúde da Serra continua a disponibilizar a vacina em suas unidades regionais. São elas: Boa Vista, Serra Dourada, Jacaraípe, Serra-Sede, Feu Rosa e Novo Horizonte.
Para os que vão viajar e ainda não tomaram a vacina, caso a cidade de chegada recomende, a aplicação deve ser feita dez dias antes da viagem.

A vacina é a principal forma de prevenção e é recomendada para todos acima dos nove meses de vida.

Cometários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *