Forum de Vitoria1Das nove testemunhas convocadas pela acusação no Caso Milena Gottardi, sete não quiseram ser ouvidas na presença dos réus. O julgamento do processo começou nesta terça-feira (16) no Fórum Criminal de Vitória. A médica Milena Gottardi Tonini Frasson foi morta no dia 14 de setembro do ano passado quando deixava o plantão, com um tiro dentro do Hospital das Clínicas em Vitória.

A advogada de Milena, Ana Paula Protzner, foi a primeira a ser ouvida. Ela, a mãe de Milena, Zilca Maria Gottardi, o irmão, Douglas Gottardi, a primia Shintia Gottardi, a amiga, Marcelle Gomes, e a médica Maria Izabel – que estava com Milena na hora do crime -, não foram ouvidos nas presenças de Hilário e Esperidião Frasson, Hermenegildo Palauro Filho, conhecido como Judinho, e Valcir da Silva Dias, Dionathas Alves Vieira e Bruno Rodrigues Broetto.

Além deles, também foi ouvidos nesta primeira etapa do julgamento, o delegado responsável pelo caso, Janderson Lube, o policial civil Igor de Oliveira e a amiga de Hilário, Edineia Alvarenga. Por volta de 18h40, os acusados saíram do Fórum Criminal de Vitória e foram encaminhados ao presídio.

As audiências começaram pouco depois das 9 horas e a advogada, Ana Paula, foi a primeira a ser ouvida. Ela é a advogada que defendia Milena no processo de divórcio do ex-marido, o policial civil Hilário Frasson. O casal teve um relacionamento de onze anos e juntos tiveram duas filhas, que estão sob a guarda do irmão da vítima, Douglas Gottardi.

milena gottardiEm seguida foi o delegado Janderson a falar, com um depoimento que durou mais de três horas. Quando ele encerrou, o julgamento foi suspenso para o almoço e só retomado após as 15 horas. Neste retorno foram ouvidos o investigador, Edineia e a médica Maria Izabel.

Já era noite quando Marcelle, Shintia, Douglas e Zilca Maria foram chamados para depor. A todo tempo amigos e parentes de Milena estiveram do lado de fora do fórum aguardando notícias e pedindo justiça. “Nós viemos para assistir a tudo, mas ficaremos aqui, do lado de fora. A gente espera que, no mínimo, se faça justiça. A Milena não pode voltar, não tem jeito, mas queremos justiça. Todos estão sofrendo, mas não tem como fugir desta situação”, disse Marcos Gottardi, primo da vítima.

Audiências

Hilário é o ex-marido de Milena, mandante
Hilário é o ex-marido de Milena, mandante

As audiências do caso Milena Gottardi contarão com 55 testemunhas. 33 residem na região metropolitana e outras 22 foram intimadas por carta precatória para serem ouvidas em locais diferentes na presença do Ministério Público: Fundão (16), Colatina (2), além de Linhares, Aracruz, São Mateus e Governador Valadares (uma em cada).

As audiências continuam nesta quarta (17), e seguem nos dias 30 e 31. Só então a justiça define se leva, ou não, os réus a júri popular. Essa decisão deve sair até o final de março.

Os cinco acusados pelo crime são Hilário Frasson (marido de Milena) e Esperidião Frasson (sogro da vítima), apontados como mandantes; Dionathas Alves (executor); Hermenegildo Palauro e Valcir Dias (ambos apontados como os intermediários do crime), e Bruno Rodrigues Broetto, que roubou a moto usada pelo autor dos disparos. (Com informações de Thaís Rossi e Úrsula Ribeiro)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *