A inclusão é um dos principais pilares para a construção de uma cidade mais inteligente, humana e sustentável. Por isso, a Serra inaugurou na manhã desta quarta-feira (11), o primeiro jardim sensorial municipal do Estado. A obra foi feita em parceria com a Petrobras Distribuidora.

Localizado no Parque da Cidade, em Laranjeiras, o local conta com uma estrutura que ajuda a explorar e apurar bem os nossos cinco sentidos: uma fonte de água, cuja estrutura é feita de bambu; e 58 espécies de plantas com diferentes aromas, gostos, texturas e formas.

Com 170 metros quadrados, o local contém canteiros de 70 centímetros de altura, cada. Esses canteiros são acessados por duas pistas: uma com piso de concreto para possibilitar a subida de cadeirantes; e outra com nove pisos sensoriais, compostos por grama, terra, areia, troncos, terra batida e argila expandida, cascas de madeira, brita e seixos.

Durante o evento de inauguração, o prefeito Audifax Barcelos salientou que o jardim é uma importante ferramenta de inclusão. “Crianças, jovens e adultos vão poder tocar, sentir, cheirar e ver, usar todos os sentidos para estar mais próximos da natureza”.

Entre as espécies de plantas que poderão ser encontradas no jardim estão: erva-cidreira, capim-cidreira, coentro, salsa, orégano, manjerona, manjericão, cebolinha, Maria-Sem-Vergonha, onze horas, melissa, bambu, espada-de-São-Jorge, dracena tricolor, lírio amarelo, lírio da paz, babosa, alfazema, lavanda, tomilho, azaleia, bromélias, carqueja, alface d’água, citronela, hortelã pimenta, rabo de gato, orquídea, camomila, boldo, cavalinha, ixora, alecrim, cravo, mirra e artemísia, entre outras.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente (Semma), Marcos Machado, a proposta do jardim é promover a educação ambiental e a inclusão. “O Jardim Sensorial é mais um instrumento que vamos utilizar para ampliar as nossas atividades de educação ambiental do Espaço Botânico do Parque da Cidade. Já temos o bromeliário, o orquidário, o jardim de restinga e a sala verde onde acontecem aulas para alunos de escolas públicas e privadas. O jardim vai possibilitar que um público com necessidades especiais também possa aprender mais sobre o meio ambiente. Já as crianças sem necessidades especiais vão poder sentir mais empatia, vão saber como as outras crianças contemplam o mundo, porque serão vendadas e convidadas a explorar a natureza de outra maneira”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *