Foto: Reprodução / Facebook
Os irmãos Ruan e Damião Reis foram mortos no dia 25 de março, no Morro da Piedade, em Vitória, com mais de 20 tiros cada um. Foto: Reprodução / Facebook

Quatro meses depois, seis pessoas estão presas e outras três foragidas por suspeita nas mortes dos irmãos Ruan Reis, 19 e Damião Reis, 22, no Morro da Piedade, em Vitória.

Leia mais em: Chefe do tráfico de drogas na Piedade é preso em Viana

Após mais um assassinato, moradores estão deixando o Morro da Piedade, em Vitória

A operação “Dois Irmãos”, realizada na manhã desta terça-feira (17), também identificou que cinco deles são os autores da morte de Wallace de Jesus Santana, no mesmo local.

Pela morte dos irmãos Ruan e Damião estão presos: Renato Correia Ramos; Bruna Lemos Souza; Célia Nilza Wanzeler; Leandro Correia Ramos Barcelos, o “bomba”; Flávio Sampaio, o “coroa” e Gustavo Batista Lemos, o “fefê”. Os foragidos são Alan Rosário de Oliveira; Rafael Batista Lemos, o “boladão” e Gean Gaia de Oliveira, o “chocolate”. Os três têm mandado de prisão temporária expedido.

Outra pessoa, identificada como Aladir de Oliveira Filho, que seria pai de Alan Rosário de Oliveira, também é apontado como um dos participantes nas mortes dos irmãos Ruan e Damião. Ele foi morto no dia 27 de maio.

Na morte de Wallace estão envolvidos cinco suspeitos presos: Alan Rosário de Oliveira, Gustavo Batista Lemos, Rafael Batista Lemos, Gean Gaia de Oliveira e Flávio Sampaio.

O titular da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) de Vitória, Marcos Vinícius de Souza, disse que os presos foram expulsos da Piedade, em 2012, pela família Ferreira Dias, considerada a dona do morro, e que teve João Paulo Ferreira Dias, o “JP”, preso na semana passada.

Após a expulsão, o grupo teria formado uma espécie de consórcio no início de 2018, com o objetivo de tomar o controle dos tráfico das mãos da família Ferreira Dias. “As investigações apontam que os criminosos invadiram o morro na tentativa de localizar o João Paulo Ferreira Dias. Eles pegaram um dos irmãos, o Ruan, e tentaram obriga-lo a indicar onde estaria o João Paulo. Como ele não sabia, foi morto. O Damião foi morto de forma muito violenta tentando salvar o irmão”.

O delegado afirmou que Ruan e Damião eram inocentes, e não tinham envolvimento com o tráfico de drogas. Ainda não se sabe qual a dinâmica do crime, entre quem planejou e os executores do crime. Todos os envolvidos negam participação nos assassinatos.

De acordo com o delegado, Bruna é prima de Gustavo e Rafael Batista Lemos, e se juntou aos dois para voltar a Piedade. A outra mulher, identificada como Célia, fez a intermediação entre Flavio Sampaio e um grupo criminoso do Morro São Benedito, que teria envolvimento com o tráfico no morro e fornecia armas.

“Eles fazem parte do mesmo grupo e que queria sim retomar o tráfico no Morro da Piedade, expulsando a família Ferreira Dias. Nós prendemos o João Paulo na semana passada e acreditamos que eles tentariam voltar para o morro, mas não de imediato, devido à presença da Polícia Militar no local”.

O secretario estadual de segurança pública, Nylton Rodrigues, disse que a polícia demorou a apresentar respostas para as mortes porque precisa juntar provas e identificar autores, o que demanda tempo.

“Estamos apresentando hoje mais uma resposta à população capixaba. Semana passada nós tivemos dois presos, um sendo líder do tráfico no Morro da Piedade. Hoje tivemos mais seis presos, justamente os envolvidos nas mortes dos irmãos e Wallace. Foi um ato que trouxe terror a comunidade da Piedade e o Estado, através das suas policias, dão essas respostas fortes. Todas as respostas possíveis sempre serão dadas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *