Terminal Vazio

A manhã dos capixabas foi de falta de ônibus, pontos cheios e terminais vazios. Os rodoviários surpreenderam a população nesta terça-feira (4) ao não saírem com os coletivos das garagens. De acordo com a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES) a quantidade máxima de ônibus circulando nas ruas foi de 90 ônibus, o que equivale a 8%.

Os usuários do sistema Transcol saíram de suas casas na esperança de encontrar os 70% da frota nos horários de pico e 50% fora desses horários, como foi determinado em liminar emitida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), porém a categoria não cumpriu as exigências, o que acabou afetando a rotina de aproximadamente 650 mil pessoas.

Uma dessas pessoas foi a auxiliar de serviços gerais Ângela Maria Nogueira, que ficou mais de duas horas em um ponto de ônibus do bairro São Torquato e só conseguiu chegar ao Hospital da Policia Militar, onde trabalha, porque uma colega de serviço foi busca-la.

terminal de stPor decisão da Ceturb-ES, os terminais rodoviários da Grande Vitória não foram abertos. De acordo com o presidente da companhia, Alex Mariano, essa foi uma medida de segurança para os passageiros. “Nós tomamos essa decisão porque se abríssemos as catracas e tivéssemos um grande número de pessoas sem ônibus para atender essa demanda poderia haver conflitos”.

A Ceturb também determinou que os coletivos que rodaram pela manhã e chegaram aos terminais retornassem e levassem as pessoas que não conseguiram chegar ao seu destino de volta para suas casas.

A procuradoria Geral do Estado solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho que declare imediatamente a ilegalidade da greve, que aumente o valor fixo da multa por descumprimento da liminar para R$ 500 mil, além de designar um dia para julgar esse dissídio coletivo com propriedade.

“A procuradoria geral do estado agirá em defesa dos interesses da população capixaba, dos interesses das crianças que precisam estudar, dos comerciantes que precisam abrir suas portas e dos trabalhadores que precisam chegar ao seu local de trabalho”. destaca o Procurador Geral do Estado, Alexandre Nogueira Alves.

A Policia Militar esteve nos terminais e garagens do Transcol desde as 4h e informou que não houve nenhum tipo de bloqueio que impedisse os motoristas de saírem com os coletivos. Apenas na Serra, um motorista deitou na frente dos portões, mas foi retirado pela PM que usou spray de pimenta para dispersar as pessoas e o encaminhou para a delegacia.

Por volta das 4h15m também foram registradas duas ocorrências de ônibus apedrejados e uma de pneu furado. “Nós não acreditamos que isso veio da população, que não tinha motivo para isso, já que eles esperavam que 70% fossem rodar” ressalta o Comandante Geral da PM, Coronel Alexandre Ramalho.

Uma audiência de conciliação está acontecendo desde as 11h no Tribunal Regional do Trabalho, para tentar selar novamente um acordo e acabar com a greve dos rodoviários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *