posse casagrande vice

Com um plenário cheio de políticos, familiares e amigos, o governador Renato Casagrande tomou posse na Assembleia Legislativa na tarde desta terça (1º). Ao assumir, o Casagrande afirmou que o seu governo é o que dará resposta ao pedido da população nas urnas: mudança. Em seu discurso, pediu a ajuda dos membros do Legislativo – deputados estaduais, federais e senadores eleitos – que estejam unidos a esse objetivo. “Vamos retomar o status de ser referência no país, não só com o equilíbrio fiscal, mas na prestação de serviços à população”, reforçou o governador.

Após assumir os compromissos de administrar o Espírito Santo com responsabilidade, o governador relembrou que há quatro anos, ao concluir seu mandato anterior, entregou o Estado com uma série de avanços, colocando o território capixaba no topo entre os estados mais transparentes e organizados do Brasil. Destacou que a situação política e econômica do país eram outras, mas que ainda que tivessem surgidos desajustes em todo mundo, causando reflexos na economia capixaba, ele e sua equipe, entre 2011 e 2014, deixaram programas, projetos e R$ 2 bilhões em caixa.

“Há oito anos, quando assumi o ES, a situação era bastante diferente no Espírito Santo, Brasil e no mundo. Apesar de alguns abalos, vivenciamos expectativas de grande salto de crescimento alicerçados pelo petróleo. Nossa economia crescia e ao longo de quatro anos o quadro foi se alterando. A retração da economia no mundo fez cair a demanda por commodities, e sofremos as consequências disso. Aqui, em 2011, os equívocos políticos e o desastre da gestão nacional, nos obrigou a enfrentar problemas entrando em discussão no Congresso Nacional, por conta do fim do Fundap. Mesmo assim, aumentamos a eficiência da máquina pública, com realizações de ações e obras. Conseguimos colocar o maior programa de investimento de toda a história do Espírito Santo. Investimento recorde nas polícias e na segurança pública”.

Ao entregar o Governo, em 2014, Renato Casagrande saiu dizendo que ficaria vigilante para que seu legado não fosse injustiçado. E rebateu todas as vezes que seu sucessor, Paulo Hartung, afirmou que estava assumindo um estado desorganizado financeiramente. Ao ser empossado para a nova gestão, não conteve as críticas. “Não perdemos de vista o equilíbrio das contas públicas e entregamos um governo com quase R$ 2 bilhões em caixa, e na primeira posição do país em transparência em gestão pública. Hoje o estado está com nota A em gestão fiscal, como deixamos, mas um déficit em investimento, ações sociais, obras. O desemprego disparou e falta ambiente para os empreendedores. Sofremos um recuo administrativo e caímos para a 14ª colocação em transparência. Não podemos aceitar que dificuldades justifiquem a falta de investimento. Reunimos condições necessárias para vencer desafios”, afirmou o governador empossado.

Vice mulher e luto por Camata

A sessão especial de posse do novo governador do Espírito Santo aconteceu em meio ao período de luto em que o estado vive pelo assassinato do ex-governador Gerson Camata, em 26 de dezembro. Com o decreto de luto, a cerimônia começou com homenagem ao ex-chefe do Poder Executivo, tendo a banda da Polícia Militar tocando bumbo e tarol. Não foi tocado o hino nacional e nem do Estado.

No discurso, Renato Casagrande lembrou Camata ao dizer que sempre pregou o trabalho de união entre os Poderes no Estado em benefício do ES e da população capixaba. “Camata conhecia a importância do trabalho em conjunto e solidário dos poderes e como isso favorecia o crescimento do ES”, destacou.

Renato Casagrande será o primeiro chefe do Executivo capixaba e ter ao seu lado uma mulher como vice-governadora. E exaltando esse fato e a raça de Jaqueline Moraes que o governador abriu sua fala. Disse que o Estado inicia nova era na política e que a vice é um dos exemplos disso. “Mulher e negra, será meu braço direito. Já fui vice-governador e sei colocar vice-governadora para trabalhar. Juntos vamos trabalhar pelo ES”, frisou.

Recado das urnas

Citando o líder pacifista indiano, Mahatma Gandhi, Renato Casagrande dá o tom de que, embora esteja de volta, será um novo governo: “Seja a transformação que você quer no mundo”. E ainda “Se quisermos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova”. Ao falar isso, ele destacou que a mudança que a população exigiu nas urnas, é a que ele propõe neste novo mandato de governador capixaba. “Nossa equipe traz novas pessoas, novas lideranças e estamos muito confiantes que vamos chegar a resultados extraordinário”.

Segundo o governador, nas eleições de outubro de 2018 a população “disse nas urnas” seu desejo de mudanças. Isso foi visto pela não eleição e não reeleição de alguns nomes conhecidos na polícia brasileira. “Hoje temos nesse plenário pessoas que não tiveram mandato renovado, e outros estrantes. O que nos une é a obrigação de dar uma resposta a esse desejo de mudança e só trabalhando juntos vamos corresponder às expectativas da população. Juntos seremos os motores de transformação que noss povo exige e merece. Aqui está um governador disposto a fortalecer as instituições públicas”, afirmou.

Com relação ao Governo Federal, do presidente Jair Bolsonaro (PSL), disse que trabalhará para que a União cumpra suas obrigações com o Estado, mas se comprometeu a ter relação extraordinária com o governo.

Da Ales, Renato Casagrande seguiu para o Palácio Anchieta, onde aconteceu a solenidade para passagem de faixa de Governo com Paulo Hartung.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *