Paiva Netto

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta, nasceu em 2 de março de 1941, no Rio de Janeiro/RJ, Brasil. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV), membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter). Filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e da União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central.

Há décadas, temos defendido que no ensino reside a grande meta a ser atingida, já! Educação e Cultura com Espiritualidade Ecumênica para o povo, desde a infância — com a Pedagogia do Afeto e a Pedagogia do Cidadão Ecumênico —, figuram entre as preocupações maiores da LBV, ao lado de sua aplaudida Promoção Humana e Social. Nesses quase 70 anos de atividade solidária, a Instituição tem transformado para melhor milhões de vidas a partir do intelecto instruído e, sobretudo, da sabedoria do coração. Como tive o ensejo de destacar ao notável ex-presidente e ex-primeiro-ministro de Portugal, dr. Mário Soares (1924-2017), enquanto não prevalecer o ensino eficaz por todos os de bom senso almejado, qualquer nação padecerá cativa das limitações que a si mesma se impõe. Aliás, o fato se deu assim: em visita ao Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, em Brasília/DF, Brasil, em 1997, o saudoso estadista, ao ver estampado, numa das paredes do local, esse meu pensamento — “Enquanto não prevalecer o ensino eficaz por todos os de bom senso almejado, o Brasil padecerá cativo das limitações que a si mesmo se impõe” —, de forma entusiástica, que era sua característica, virou-se para mim e exclamou: — “Mas por que só o Brasil?! Isto é válido para o mundo inteiro!”, razão por que, aceitando a sugestão dele, estendi esses dizeres para quem deles quiser valer-se em qualquer país. Nesse mesmo dia, o dr. Mário Soares foi homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, na categoria Hors-Concours, cerimônia que também condecorou, na categoria Esporte, o Atleta do Século 20, Pelé.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) realizou importante pesquisa que monitorou, durante os anos de 1965 a 2010, a relação entre Educação e erradicação da pobreza. O recém-lançado estudo “Reduzindo a pobreza global através das educações primária e secundária” revela, na página 11: “Alcançar a conclusão do ensino primário e secundário na população adulta ajudaria a tirar mais de 420 milhões de pessoas da pobreza, assim reduzindo em mais da metade o número de pessoas pobres no mundo. Os efeitos seriam particularmente grandes na África Subsaariana e no sul da Ásia, onde uma redução da pobreza em quase dois terços é esperada”. Segundo informa a Unesco, “se as tendências atuais continuarem, dos 61 milhões de crianças em idade escolar atualmente fora da escola, 17 milhões nunca pisarão numa sala de aula”.

Esses dados são muito alarmantes e chamam todos à responsabilidade de não apenas combater efeitos, mas atuar nas causas, o que conduzirá a resultados mais sólidos e sustentáveis na luta contra a miséria, que vergonhosamente ainda campeia pelo orbe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *