radar geralPor toda extensão das rodovias federais do Espírito Santo, centenas de radares fiscalizam os motoristas e servem de controle de velocidade para alguns veículos. São centenas de aparelhos espalhados nas BRs 101 e 262, que atravessam a grande maioria dos municípios do estado.

Desde a última quarta-feira (11), o Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Espírito Santo (Ipem-ES), órgão delegado do Inmetro, está verificando 26 radares de velocidade instalados em trechos de rodovias estaduais em seis cidades do Espírito Santo.

Mas e nas rodovias federais, será que todos estes aparelhos realmente funcionam?

BR-101

Segundo a Eco101, 12 novos radares estão em pleno funcionamento ao longo de toda rodovia, enquanto outros oito restantes ainda estão sendo instalados ainda da BR-101 e serão e aferidos pelas autoridades competentes, aguardando apenas que a empresa de energia conclua a energização para que os radares comecem a operar.

Outros 46 radares da BR-101 eram operados pelo do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) e foram passados para a Eco101, porém a concessionária afirma que que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no último mês de janeiro, publicou uma resolução no Diário Oficial, ratificando o parecer técnico emitido em julho de 2017, o qual desobriga a concessionária de operar os aparelhos que eram de responsabilidade DNIT.

O DNIT diz que todo trecho concedido não é mais de responsabilidade do Departamento. Portanto não mantém mais equipamentos para a fiscalização de excesso de velocidade nas vias.

A ANTT afirma que os aparelhos foram retirados pela empresa que prestava o serviço, uma vez que o contrato com o DNIT venceu. No momento, é analisada a possibilidade de que os aparelhos voltem a funcionar. Uma inclusão dos investimentos previstos para a operacionalização dos radares pela concessionária, ressalva que a sua inclusão acarretará no reequilíbrio contratual com o consequente impacto na tarifa de pedágio.

BR-262

Na BR-262 o DNIT diz que todos os equipamentos das empresas que prestam serviço para o Departamento nas rodovias federais estão operando, normalmente. São 57 equipamentos instalados nas 129 faixas de tráfego da rodovia no Espírito Santo.

O DNIT ainda diz que quando algum aparelho deixa de operar por problemas técnicos, são resolvidos pela empresa contratada no prazo de 30 dias, pois toda vez que um equipamento deixa de operar a empresa deixa de receber, já que seu pagamento é feito por faixa fiscalizada mês.

Cometários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *