Rio JucuA disponibilidade de água nas 14 bacias hidrográficas do Espírito Santo pelos próximos 20 anos dependerá de um Plano Estadual, o PERH, organizado pela Agência Nacional de Recursos Hídricos (AGERH). Ele pode, exemplo, evitar o racionamento de água no, apesar de essa ser considera uma medida emergencial. A vazão de água do Rio Jucu está em 8.278, abaixo dos 15.965 esperados para o período, mas fora do nível crítico. Já o Santa Maria está em 13.056, acima da média mensal de 7.526.

A coordenadora da AGERH, Mônica Gonçalves, explicou que o período de chuvas entre maio e agosto foi atípico. Pode acontecer que em outubro, mês considerado normal para as chuvas, a quantidade seja a esperada e não aconteça o racionamento. “Mas pode ser que elas diminuíam, que também seja um período atípico e haja essa necessidade. O ideal é que tudo que foi suscitado com a crise, como o uso racional da água, seja mantido”.

Explicou ainda que apesar de o horizonte de planejamento ser de 20 anos,  eles visam ações de médio e longo prazo. A ideia é que saibamos lidar de forma mais eficiente com situações passadas, como cheias e principalmente as estiagens dos últimos anos e meses. “Para que a gente consiga fazer a gestão dos recursos de forma mais eficiente e não tenhamos que passar por situações de racionamento”.

Nesta terça-feira (12) teve início uma série de Consultas Públicas Regionais para apresentar e discutir sugestões, críticas e demandas com participação da sociedade um estudo sobre a situação atual dos recursos hídricos no ES. O Plano Estadual vem sendo elaborado pelo Governo do Estado desde janeiro e se divide em três etapas. A previsão é de que as ações sejam adotadas em março de 2018, quando a última etapa estará concluída.

“A primeira é o diagnóstico, onde estamos desde janeiro e concluiremos em setembro, para conhecer a realidade dos recursos hídricos no nosso Estado: quanto de água temos, qual a qualidade delas, e para que estamos usando. A segunda parte diz respeito a elaboração de cenários, para definir como queremos estar em relação a isso daqui há 20 anos, que chamamos cenário de referência, e estará concluída entre dezembro e janeiro. A terceira é o plano de ações e estará concluída em março de 2018. É o plano em si, com um rol de ações, programas e projetos para alcançar o horizonte desejado, com melhores condições de qualidade e quantidade de água”.

A primeira Consulta Pública acontece na próxima quarta (13), no auditório da Prefeitura de Cariacica, contemplando a Região Central. No dia 14 será a vez da Região Sul, na Câmara Municipal de Guaçuí. No dia 19 a reunião será realizada no auditório da Faculdade Vale do Cricaré, em São Mateus, contemplando a Região Norte. E no dia 20 no Sindicato Rural de Colatina, na Região da Bacia do Rio Doce.

A coordenadora explicou ainda que o planejamento do PERH é usar a água no ES numa escala de estados. E que a partir de informações técnicas e consistentes, seja consolidado com a sociedade capixaba um acordo social e político com bases ambientalmente sustentáveis para orientar o desenvolvimento e garanta água como insumo essencial e fundamental para o desenvolvimento do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *