Foram presos os responsáveis pela explosão e assalto da agência do Banco do Brasil, na madrugada do dia 21 de fevereiro em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha. Antes do crime, os acusados fizeram um vídeo mostrando as armas utilizadas, que haviam sido alugadas de outra quadrilha em Minas Gerais.

O vídeo foi encontrado em um celular apreendido pela polícia, de um dos integrantes da quadrilha. Além disso, foram encontradas fotos dos acusados, aproveitando um dia de praia e em um bar no Espírito Santo. Assista:

Segundo a polícia a quadrilha, que não atuava no Espírito Santo, é especializada em realizar assaltos a banco e lucrava em média R$100 mil em cada roubo. Dessa vez só conseguiram levar R$ 21 mil da agência capixaba, já que os caixas não haviam sido abastecidos no dia do crime.

Os acusados eram todos do estado de Minas Gerais e vieram ao Espírito Santo exclusivamente para realizar o crime. Eles chegaram no dia 19 de fevereiro, ficaram em uma casa que havia sido alugada em Ponta da Fruta por um dos integrantes da quadrilha e foram embora no mesmo dia do crime, por volta do meio-dia.

Para o assalto, foram utilizados dois carros. Um gol roubado, que foi usado para a fuga logo após o crime e abandonado na Estrada do Dique, em Vila Velha, e um Space Fox de propriedade de um dos integrantes da quadrilha que, foi utilizado no retorno para Minas Gerais.

O secretário estadual de Segurança Pública, André Garcia, afirma que o Espirito Santo não possui histórico de ocorrências desta natureza. “Desde quando aconteceu o fato em 21 de fevereiro, a preocupação era muito grande. Nós já tínhamos informações de que se tratava de uma quadrilha de fora do estado e isso se confirmou com a investigação feita pela Polícia Civil” destaca Garcia.

As prisões

No dia 03 de março, foi preso Alexandre Nani Coutinho de 25 anos, que alugou a casa em Ponta da Fruta e auxiliou na fuga dos comparsas. Segundo a Polícia Civil, o combinado era de que Alexandre recebesse R$ 1 mil para ajudar a quadrilha, porém só recebeu R$ 500. Ele, que já possui passagem pela polícia por furto, confessou o crime e colaborou com as investigações.

Logo em seguida, no dia 13 de março, foi presa a namorada de Alexandre, Lenice dos Santos, de 32 anos, que já possui passagem por homicídio e escondeu as armas utilizadas no crime em sua residência, em Balneário Ponta da Fruta. O local ficava a cerca de 4 km de distancia da casa de seu namorado, onde estavam escondidos os comparsas.

No dia 26 de março foi preso Michael Willian Lima (Mineiro), que auxiliou no planejamento dos criminosos e deu apoio logístico para a organização do crime. Ambas as prisões foram feitas no Espírito Santo.

Já em Minas Gerais, foi preso no dia 04 de abril Geraldo Antônio dos Santos Junior, vulgo Jacaré, de 36 anos, em um posto de gasolina no bairro Glória em Belo Horizonte enquanto tentava fugir da polícia. No dia do crime, ele rendeu várias pessoas que estavam em um bar próximo a agencia assaltada.

Logo em seguida no mesmo dia, foi preso também Adilson Basílio de Azevedo Junior de 24 anos, acusado de ser o explosivista e colocar a dinamite utilizada no banco.

Segundo o delegado titular da Divisão de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio, Romualdo Gianordolli, os acusados têm já tem vasta experiência criminal, passagens por vários roubos com fuzis e experiência com explosivos, “Eles são indivíduos perigosos, que já explodiram várias agencias em Betim, e outras cidades de Minas”, relata o delegado.

Ainda segundo o delegado todos os envolvidos confessaram o crime, mas ainda há três foragidos. Peterson Lucas Freitas e outros dois que a polícia não possui o nome, mas atendem por Fabinho Foca e Aba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *