himabaO Pronto-Socorro do Hospital Estadual Infantil e Maternidade de Vila Velha (HIMABA) vai passar a funcionar 24 horas, todos os dias da semana. Antes, o atendimento era até a quinta-feira, com fechamento de sexta a domingo. A medida vem junto com uma nova administração. O Instituto de Gestão e Humanização (IGH), organização social (OS) venceu o concurso de projetos. O contrato tem vigência de cinco anos.

O anuncio foi feito pelo secretário Estadual de Saúde, Ricardo de Oliveira, em visita ao HIMABA na tarde desta terça-feira (3). Serão ampliados o número de internações (9.817 para 10.952); atendimentos no Pronto-Socorro (48.977 para 60.142) e no ambulatório (44.486 para 58.044). Também foram contratados mais 300 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos.

O secretário disse que o HIMABA tem atualmente 142 leitos. A previsão é de que eles cheguem a 180, um aumento de 27%, com a abertura de mais três leitos de obstetrícia; 10 de saúde mental; 20 de Unidade de Cuidado Neonatal Intermediário Convencional (Ucinco); três de Unidade de Cuidado Intensivo Canguru (Ucinca) e duas de Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrico (Utip). O prazo para que isso aconteça é de 90 dias.

“Estipulamos metas que eles terão que cumprir. Eles sabem que nesse prazo precisam botar essa infraestrutura porque durante o ano tem que nos entregar um volume que está no contrato. O crescimento aqui é muito grande. Determinadas questões de produção vão aumentar 30%, outras 27%”.

Periodicamente a organização social deverá apresentar relatórios comparativos entre metas e resultados alcançados de qualidade a cada três meses e de quantidade a cada seis meses. Os serviços estão estimados em R$ 76 milhões, que serão repassados pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA) divididos em custeio (R$ 75 milhões) e investimentos (R$ 300 mil).

Corredor
Durante a visita, a reportagem viu pessoas no corredor do Pronto-Socorro. Mas segundo o secretário, são pacientes que foram atendidos e esperam por avaliação, sem gravidade. “Isso do ponto de vista do atendimento não tem problema. O grave é interna-las ali. Já conversei com eles. Nós temos uma área para fazer esse atendimento. Aquelas cadeiras precisam ser trocadas, porque são antigas, e já estão no planejamento. Ressalto que a IGH está aqui desde domingo às 7h, não tem nem três dias. Daqui a uns 30 dias podemos voltar para de novo fazer uma prestação de contas do que avançou e melhorou”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *