horta comunitaria

Legumes e verduras orgânicas frescos para escolas de ensino fundamental, unidades de saúde e centros comunitários. Isso está sendo possível no município de Serra Sede.  O projeto Jardins e Hortas sustentáveis começou em junho e até o momento funciona com 25 hortas e atualmente atende 10 bairros. Na prática, o moradores pagam o que puderem. Se não for possível, levam o produto mesmo assim.

O espaço funciona no Centro Comunitário de Moradores, no bairro Maria Níobe. Segundo os moradores, são 50m² de horta onde tudo é orgânico: tem alface, coentro, cebolinha, e outras opções sem aplicação de pesticidas, A própria comunidade é quem cuida da horta. O envolvimento deles tem unido as pessoas, o que é considerado um resultado positivo.

A presidente da comunidade, Neuza Maria Alves, as colheitas são feitas As terças e quintas, e expostas no Centro Comunitário. Os moradores pagam o que puderem, mas nunca deixam de levar as verduras. “Quem planta pode colher sem se preocupar com feiras, onde um pé de alface custa R$ 1,50. Eles são convocados a aprender de forma educativa e até plantar em casa, em meio as dificuldades financeiras”.

O pedreiro Cleidimar Santana é quem ajuda no plantio. Segundo ele, o maior benefício é poder comer as verduras naturais, sem agrotóxicos. “A importância da horta é essa. Todos admiram, tiram fotos e estão gostando”.  O irmão dele, Geraldo Santana, diz que aos 73 anos e aposentado, conseguiu uma boa ocupação. “É alimento para muita gente. É sem veneno, é eu faço alguma coisa”.

Já a instrutora de artesanato Fátima Leandro, o projeto tem ajudado o meio ambiente. Tudo que iria para o lixo, como garrafas pets, é reaproveitado. “Nosso lema é salvar meio ambiente. Aproveitamos as garrafas antigamente jogadas. Aqui eles aprendem muito com a gente. Os aposentados, quando passaram a integrar o projeto. A saúde deles até melhorou. Tem sorriso no rosto!”.

A organização é de uma parceria público-privada entre a Faculdade Multivix, e Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMMA).

Assista a reportagem

Cometários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *