tiago e joão vitor
Tiago Bispo, 31 (camiza cinza) e João Vitor de Cordoba, 29 (camisa vermelha). Fotos: polícia civil/divulgação

Dois homens de Joinville, no Estado de Santa Catarina, foram presos suspeitos de uma tentativa de roubo a um banco do bairro Goiabeiras, em Vitória. Tiago Bispo, 31, e João Vitor de Cordoba, 29, estavam hospedados em um hotel na orla de Camburi. A polícia os classifica como “caixeiros”, que são especialistas em roubos a bancos e caixas eletrônicos.

Os suspeitos foram presos no último sábado (28) após passarem mais de duas horas observando um banco em Jardim América, Cariacica. A tentativa de assalto ao banco em Goiabeiras aconteceu no dia 31 de maio.

Na ocasião, o objetivo da dupla não se consolidou, pois um vizinho viu a movimentação no local e eles acharam melhor desistir do roubo. Porém, os suspeitos já haviam feito um buraco na parede da tesouraria do banco e cortado os fios de alarme e comunicação (telefônicos).

Tiago Bispo e João Vitor de Cordoba tem passagens pelo mesmo crime em outros seis estados brasileiros: Santa Catarina, Goias, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul (duas vezes) Sergipe e São Paulo além de serem investigados em várias outras regiões do país.

materiais
Material que estava vindo de Santa Catarina. Foto: polícia civil/divulgação

Segundo a polícia, Santa Catarina é um reduto desse tipo de criminosos, porque lá são fabricados caixas eletrônicos que são distribuídos no país. Os suspeitos chegaram ao estado seis dias antes da prisão,  e alugaram um carro para permanência de 21 dias. Em depoimento, eles afirmaram que pretendiam roubar duas agências do Banco do Brasil: uma em Jardim América, Cariacica, e outra em Jardim Limoeiro, na Serra.

Segundo o chefe do Departamento de Investigações Criminais (DEIC), delegado Romualdo Gianordolli, eles não estavam planejando uma data específica para o roubo, e que “quando dá no coração eles cometem os furtos”, conta o delegado.

Ainda de acordo com as investigações, um terceiro suspeito estava junto com eles em Vitória, porém, não foi preso. Na tentativa de roubo de maio, ele não foi visto nas imagens da câmera do banco.

“Nas imagens só aparecem o João Vitor e o Tiago, mas nós acreditamos que essa terceira pessoa era quem estava na parte externa do banco. Mas infelizmente não há imagens e nós teremos que aprofundar as investigações para chegar a esse indivíduo”, conta o delegado.

Analisando as conversas de um grupo de Whatsapp, a polícia teve conhecimento também de que uma quarta pessoa estava a caminho, trazendo os equipamentos para os próximos roubos. A suspeita é de que o grupo seja composto por cinco catarinenses.

Os suspeitos foram autuados por tentativa de furto qualificado e associação criminosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *