Darlison Moreira da SilvaA polícia prendeu em Guarapari cinco suspeitos de assassinar um homem e amarrar o corpo em um poste no bairro Adalberto Simão Nader. O crime aconteceu na última sexta-feira (09) e foi registrado por vários moradores q viram o corpo do auxiliar de cozinha preso ao poste. Os acusados suspeitavam que a vítima fosse um estuprador da região, mas a polícia não identificou nenhuma denúncia.

Darlison Moreira da Silva de 19 anos, vulgo mineirinho, e mais quatro menores de idade são acusados de espancar com barras de ferro, socos e chutes o auxiliar de cozinha Eugênio Lima Campos, de 25 anos. Depois da agressão o corpo do homem foi amarrado em um fio, arrastado por cerca de 100 metros e preso no poste. Diversos moradores filmaram o ocorrido, oque ocasionou na identificação dos acusados.

A vítima morava com a mulher e os enteados no Bairro Kubishech próximo ao local onde trabalhava e foi assassinado. Ainda de acordo com a polícia, nenhuma das crianças demonstrou indícios de ter sido assediada ou violentada pelo padrasto.

Prisões

A primeira apreensão de um menor de 17 anos foi feita no sábado (10) à noite. Com ele, foram encontrados 50 pinos de cocaína, uma balança de precisão, uma arma de fogo e munições calibre 32. Outros três menores – de 17, 16 e 14 anos – foram apreendidos na manhã domingo (11), e por último, Darlison Moreira, no bairro São Gabriel.

Segundo o delegado Tarik Halabi Souki, responsável pela Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Guarapari, na sexta-feira a polícia já tinha consciência sobre o paradeiro dos indivíduos.

“O crime ocorreu por volta do meio dia, 13 horas. Nós fomos até o local, a PM fez o isolamento, a Polícia Civil esteve com a divisão de homicídios e a perícia. Naquele momento, nós já conseguimos os vídeos da execução e vimos crianças, senhoras, mulheres, vendo aquela selvageria. Diligenciamos e encontramos o esconderijo desses indivíduos, porém, lá eles tinham fugido”, relata o delegado.
Darlison já havia sido preso também por roubo nos estados de São Paulo e Minas Gerais, e confessou sua participação no crime.

Confissão

Além do assassinato de Eugenio Lima, Darlison e um menor de 17 anos, confessaram também um assassinato no dia 28 de janeiro deste ano. O caso anterior também havia sido motivado por um boato e, para matar a vítima, eles afirmam ter quebrado seus braços e coluna e colocado em um barril e ateando fogo com a pessoa viva.

A polícia acredita que essa característica brutal dos crimes era com o objetivo de demonstrar para a população o poder dos traficantes na região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *