montagem
Wedson Lima Marciano (esquerda) está preso. Gabriel Melo Chagas (direita) é procurado pela polícia. Fotos: Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu um dos suspeitos de integrar uma quadrilha que tentou assaltar uma joalheria no Centro de Vitória. Wedson Lima Marciano, 33, o “Zulu”, foi encontrado na noite da última quinta-feira (8) no morro do Cabral por policiais militares que patrulhavam a região. Outro homem, identificado como Gabriel Melo Chagas, 19, vulgo “gordinho”, está foragido.

Segundo o titular da Divisão de Segurança Patrimonial, Fabiano Rosa, a polícia também trabalha para identificar outros dois suspeitos que aparecem nas imagens do assalto divulgadas nessa sexta-feira (9). Um deles seria um taxista que furou o sinal vermelho para supostamente dar fuga aos assaltantes.

O crime aconteceu no dia 4 de janeiro, por volta das 13h. Os donos estavam na joalheria com os filhos e foram baleados de raspão na boca (homem) e na perna (mulher). Segundo o delegado Fabiano Rosa, todos eles reconheceram os assaltantes. “Após a tentativa de latrocínio os policiais conseguiram identificar o Zulu e Gabriel pelas imagens. Convidamos as vitimas a comparecerem a delegacia, que os reconheceram por foto. Após isso pedimos a prisão temporária de 30 dias e o judiciário concedeu o mandado de prisão”.

Fabiano Rosa afirmou que a quadrilha já era monitorada antes do assalto. Eles podem ter agido em pelo menos outros quatro locais: duas lojas de roupa da mesma rede (uma localizada a 500 m da delegacia patrimonial e outra no bairro Itararé, em Vitória); uma casa de câmbio e outra joalheria, ambas no centro da capital.

Além desse crime, Wedson Marciano tem passagens pela polícia por roubo, tentativa de homicídio, tráfico de drogas e Lei Maria da Penha. Gabriel Chagas já foi preso por dirigir sendo menor de idade, roubo e também por tráfico.“Estamos divulgando as imagens para tentar localizar o Gabriel e também que as pessoas denunciem através do disque-denúncia 181 o taxista e o terceiro elemento que participou do latrocínio”, afirmou o delegado.

O tenente coronel da Polícia Militar, José Augusto Piccoli, disse que a prisão de Wedson Marciano é um trabalho integrado das policias civil e militar. “Gostaríamos de deixar claro que nada do que é realizado hoje no município de Vitória é feito sem a parceria das duas instituições. Isso é muito importante, pois damos a resposta imediata para o cidadão. Essa quadrilha vinha perturbando o sossego da comunidade do centro de Vitória e imediações”.

Imagens do assalto divulgadas pela Polícia Civil:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *