Foto de Diego Alves/PMV
Foto de Diego Alves/PMV

“Cerco eletrônico” é nome do sistema eletrônico de monitoramento de veículos praticado no município de Vitória e que promete combater o roubo de carros e a todos os tipos de crimes que envolvem a utilização de veículos. A prefeitura da capital anunciou que a ferramenta será implantada  em 48 diferentes pontos da cidade, criando “barreiras eletrônicas”.

Ao todo, serão implantadas 100 câmeras com reconhecimento ótico de caracteres, capazes de identificar todos os veículos que passarem pelos pontos de barreira. A previsão é de que o sistema esteja em funcionamento já no primeiro trimestre de 2018.

Todas as entradas e saídas do município serão contempladas, assim como as ligações entre a área continental e a ilha. A cidade será dividida em cinco grandes setores e os veículos serão visualizados por câmeras sempre que entrarem em uma das áreas. Os pontos de barreiras serão implantados em locais estratégicos e que ligam as diferentes regiões da cidade, garantindo a eficiência do sistema.

Para o prefeito de Vitória, Luciano Rezende, o sistema é uma conquista para a cidade. “Nas cidades em que já foi instalado, o sistema representou uma redução de 50% ou mais no número de veículos roubados. Ele é capaz de identificar qualquer tipo de irregularidade que envolva esses carros, por meio de um alarme. Acreditamos que por Vitória ser uma ilha, com poucos pontos de entrada e saída, a eficiência será muito forte na cidade”.

O secretário municipal de Segurança Urbana, Fronzio Calheira, ressaltou a importância do sistema para a investigação e o monitoramento de todos os tipos de crimes nos quais há um veículo envolvido. “O roubo e o furto de veículos serão os mais impactados, mas nós acreditamos que todos os outros crimes deverão ter redução significativa, trazendo um impacto positivo nos índices da violência urbana em Vitória. Temos que ressaltar a inteligência por trás do sistema, que permite a investigação por parte das forças competentes e também possibilidade de interceptação desses veículos, com uma resposta imediata das forças de segurança. Nós temos ainda cerca de 200 câmeras de videomonitoramento, que poderão ajudar na busca por esses veículos”, explicou.

Como funciona

O sistema registra a foto de todos os veículos que passarem pelas barreiras e as placas são “lidas” pelo equipamento, que armazena a informação na base de dados. Caso haja uma restrição de furto ou roubo ou mesmo um indicativo de suspeita emitido pelas forças de segurança, será disparado um alerta na Central de Videomonitoramento da Guarda Civil Municipal. Os operadores da central repassarão todas as informações do carro, tais como trajeto, cor e modelo, ao Ciodes, que solicitará a abordagem pelas equipes da Guarda ou da Polícia Militar.

O programa também emitirá alertas automáticos quando reconhecer incongruências espaço-temporais, como registros de uma mesma placa aparecendo em pontos distantes, em um curto espaço de tempo, ou uma mesma placa sendo visualizada ao mesmo tempo em locais diferentes.

Nos dois casos, há indício de clonagem do veículo e o sistema indicará às forças de segurança a localização estimada do veículo clone para abordagem. A inteligência artificial poderá reconhecer ainda diferenças grosseiras, como motos utilizando placas de carros e até mesmo veículos do mesmo modelo, mas com cores diferentes da indicada pelo sistema nacional.

Veículos suspeitos

Mesmo sem a identificação da placa, veículos suspeitos poderão ser buscados por meio da análise dos dados. É possível, por exemplo, buscar o histórico de trajetos e os dias e horários de determinado carro que esteja envolvido em assaltos, no qual só se saibam a cor, o modelo ou somente partes das letras e números que compõem a placa.

Com as informações do sistema, as forças de segurança poderão fazer buscas orientadas para um veículo específico, com foco na região mais acessada e horário mais utilizado nos deslocamentos. O cerco eletrônico será interligado ao Ciodes, ampliando a integração da Guarda com as forças de segurança estaduais, e também às delegacias especializadas que tiverem interesse em utilizar a ferramenta.

Além dos pontos de barreira, as faixas exclusivas para ônibus também receberão o sistema e indicarão possíveis veículos suspeitos que trafegarem pela faixa.

A enorme quantidade de informações registradas pelo equipamento também poderá subsidiar o município em ações de intervenções viárias e análise comportamental do fluxo de veículos, como origem e destino dos deslocamentos dentro da cidade, e permitir a contagem dos carros por horários e pelos setores da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *