apreensão defa sipolatti

Dois homens suspeitos de participarem dos arrombamentos a loja Sipolatti do bairro Porto Canoa, na Serra, foram identificados pela policia. Os furtos ocorreram nos dias 25 de julho e 07 de agosto. Charles Pereira Garcia Junior, de 27 anos, foi encontrado e conduzido à delegacia. O segundo suspeito, Matheus Souza Mendes, 20 anos, e um comparsa, ainda não identificado, estão sendo procurados.

Matheus foi localizado por meio de denúncias anônimas feitas pelo disque-denúncia 181. A policia recebeu a informação de onde morava o suspeito de cometer o arrombamento do dia 07 de agosto. Chegando ao local, no bairro Parque de Laranjeiras, apenas a companheira do suspeito foi encontrada. Ela, que é menor de idade, deixou os policiais entrarem na residência. Lá, encontraram grande parte do material que havia sido roubado, entre eles estavam um notebook, uma caixa de som, uma panela de arroz elétrica e um celular.

A menor prestou depoimento e será autuada por interceptação. O suspeito ainda fez contato com ela prometendo que iria se entregar, mas até o momento ele não apareceu e nem tentou falar com ela outra vez.

Em relação ao furto do dia 25 de julho, o criminoso foi encontrado através do rastreador dos celulares roubados. A loja passou as coordenadas de onde os aparelhos estavam e a policia chegou a uma mulher que contou como havia comprado e a localização da casa do suspeito.

Charles se entregou no momento em que a policia chegou a sua casa. Ele foi conduzido à delegacia onde prestou depoimento e confessou o crime. De acordo com o delegado Henrique Vidigal, titular da delegacia patrimonial, ainda nesta quinta-feira (09) ele será indiciado por furto qualificado e associação criminosa, podendo pegar até oito anos de prisão.

Além dos suspeitos, sete pessoas, que compraram os produtos furtados, foram chamadas para prestar esclarecimentos. Quatro delas foram indiciadas por receptação, incluindo a menor, companheira de Matheus. As outras três pessoas ouvidas não serão indiciadas porque o delegado entendeu que elas não tinham conhecimento do furto e compraram o material a preço de mercado.

Apesar de os suspeitos serem da região de Jacaraípe, o delegado negou a possibilidade de formação de quadrilha especializada em roubo, e diz que os suspeitos não possuem ligação.

Por Lizandra Amario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *