policia civilSeguindo uma tendência nacional, a Polícia Civil capixaba agora também possui um Departamento Especializado em Narcóticos (Denarc). A criação do departamento faz parte da reestruturação da instituição que, entre as mudanças, ampliou a estrutura da Superintendência de Polícia Especializada (SPE).

O superintendente de Polícia Especializada, delegado José Darcy Arruda, acredita que a criação do Denarc no Espírito Santo vai proporcionar uma maior integração com outros Estados da Federação. “O tráfico de drogas já transcendeu fronteiras e a troca de informações entre as Polícias tornou-se uma aliada para a identificação dos traficantes, bem como das grandes fortunas e dos bens gerados pelo tráfico de drogas. Acreditamos que essa medida vai contribuir para a redução da oferta da droga no Espírito Santo”, disse um dos maiores incentivadores para a criação do Denarc.

Com a mudança, a Delegacia Especializada em Tóxicos e Entorpecentes (Deten) foi ampliada para Departamento que contará com duas delegacias especializadas, um núcleo de estudos e de projetos educacionais com ênfase na redução da demanda e na prevenção da violência, além de um núcleo de inteligência e de operações estratégicas. “Uma das grandes inovações são os núcleos de inteligência e de estudos. São por meio deles que nós vamos fazer o mapeamento das áreas onde realizaremos operações policiais estratégicas e também vamos trabalhar a prevenção ao consumo de droga e a conscientização dos malefícios das drogas, pois o maior mercado do traficante é o usuário-dependente”, explicou o superintendente.

Assim, com a publicação da Lei Complementar nº 892, publicada último dia 06, a SPE agora conta com três departamentos e cinco divisões. Além do Denarc também foram criadas a Divisão Especializada de Atendimento à Mulher e a Divisão Especializada da Região Metropolitana e o Departamento Especializado de Investigações Criminais (Deic) que em sua estrutura engloba a Divisão Especializada de Furtos e Roubos de Veículos, antiga Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) e a Divisão Especializada de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio (DRCCP).

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) teve sua estrutura ampliada e passou a ser o Departamento Especializado de Homicídio e Proteção à Pessoa e a Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito passa agora a ser a Divisão Especializada de Delitos de Trânsito.

Mais mudanças

Além da criação do cargo de delegado geral adjunto e das Superintendências de Polícia Regional Noroeste, da Regional Serrana e de Apoio Logístico e Engenharia, ampliando para 12 o número de superintendências, a Lei Complementar nº 892 também alterou o nome de algumas superintendências.

Entre elas estão a Superintendência de Inteligência e Ações Estratégicas (SIAE), antiga Superintendência de Ações Estratégicas e Operacionais (SAEO), e a Superintendência de Polícia Interestadual e de Capturas (SPIC), antiga Superintendência de Polícia Prisional (SPP). Além disso, o Departamento Geral de Administração foi ampliado e substituído pela Superintendência de Administração e Finanças (SIAF).

O Conselho de Polícia também está com nova disposição. A partir da nova lei, o Conselho passa a ser composto pelo: delegado geral; delegado geral adjunto; corregedor-geral; diretor da Academia de Polícia; superintendente de Administração e Finanças (antigo Departamento de Administração Geral); superintendente de Inteligência e Ações Estratégicas (antiga Superintendência de Ações Estratégicas e Operacionais); superintendente de Polícia Especializada; superintendente de Polícia Técnico-científica; duas vagas para superintendentes de Polícia Regional a serem preenchidas em sistema de rodízio e presidente ou representante do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *