Em duelo de clubes tricolores que fechou a nona rodada do Campeonato Brasileiro nesta segunda-feira, o Paraná bateu o Fluminense por 2 a 1, no estádio Durival Britto, em Curitiba. Foi a primeira vitória paranista na competição. “Perdemos a virgindade”, disse o meia/atacante Guilherme Biteco, empolgado ao final do jogo.

Mas a equipe paranaense continua na vice-lanterna, com 6 pontos, e o técnico Rogério Micale ainda ameaçado. Com a derrota, o Fluminense desperdiçou a oportunidade de conquistar a vice-liderança isolada. Agora é o nono colocado, com 14 pontos.

Apesar da necessidade de vitória das duas equipes, faltou qualidade. O time tricolor carioca teve atuação abaixo da média. Errou muitos passes e mostrou dificuldades em criar. Lento, sentiu as ausências de Marcos Júnior (que deixou o campo sentido a coxa, aos 10 minutos do primeiro tempo), Ayrton Lucas e Pedro (machucados), além de Gilberto (que ficou no banco de reservas por opção do técnico Abel Braga).

Já Rogério Micale apostou em um Paraná mais ofensivo, com três atacantes: Léo Itaperuna, Carlos (substituído no início do jogo por lesão) e Thiago Santos, que não jogava desde a primeira rodada do Brasileirão.

Deu certo. O Paraná pressionou e criou as duas melhores chances do primeiro tempo. Aos 25 minutos, Thiago Santos acertou chute na trave. No lance seguinte, Jesiel aproveitou escanteio e, de voleio, exigiu grande defesa do goleiro Júlio César.

No segundo tempo, o Paraná continuou com maior ímpeto. E logo aos seis minutos, o atacante Léo Itaperuna foi derrubado pelo xará Léo, lateral-direito do Fluminense, e o árbitro marcou pênalti. Thiago Santos bateu firme e fez.

Atrás no placar, Abel Braga tirou Léo, que sentia dores no tornozelo, e colocou o atacante Matheus Alessandro. Passou do 3-5-2 para o 4-3-3. A pressão mudou de lado e o Fluminense chegou mais ao ataque. Todo recuado, o Paraná mostrava defesa segura e explorava os contra-ataques. Chegou a balançar a rede outra vez com Thiago Santos, mas o atacantes estava em posição de impedimento.

O segundo gol, de fato, saiu aos 43 minutos com Guilherme Biteco, que tinha acabado de entrar, completando cruzamento rasteiro da esquerda. Os jogadores do Fluminense reclamaram que a bola não entrou inteira. O árbitro confirmou o tento.

Aos 47 minutos, o Fluminense ainda diminuiu. Após confusão na área, Renato Chaves cruzou e Pablo Dyego, de primeira, finalizou bem para vencer o goleiro Thiago Rodrigues.

Na sequência do Brasileirão, em sua 10.ª rodada, as duas equipes jogam nesta quinta-feira, às 20 horas. O Paraná recebe o Bahia, novamente em Curitiba, e o Fluminense encara o clássico contra o Flamengo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 2 x 1 FLUMINENSE

PARANÁ – Thiago Rodrigues; Júnior, Jesiel, Rayan e Igor; Leandro Vilela, Torito González e Carlos Eduardo (Wesley); Léo Itaperuna, Thiago Santos (Guilherme Biteco) e Carlos (Caio Henrique). Técnico: Rogério Micale.

FLUMINENSE – Júlio César; Gum, Renato Chaves e Luan Peres; Léo (Matheus Alessandro), Richard, Jadson (Pablo Dyego), Sornoza e Marlon; Marcos Junior (Robinho) e João Carlos. Técnico: Abel Braga.

GOLS – Thiago Santos (pênalti), aos 6, Guilherme Biteco, aos 43, e Pablo Dyego, aos 47 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Torito González, Thiago Santos, Jesiel, Rayan, Guilherme Biteco e Wesley (Paraná); João Carlos, Léo e Marlon (Fluminense).

ÁRBITRO – Leandro Bizzio Marinho (SP).

RENDA – R$ 69.525,00.

PÚBLICO – 3.492 pagantes (4.353 no total).

LOCAL – Estádio Durival Britto, em Curitiba (PR).

Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *