por Paulo Cesar Dutra

Em 1970, o brasileiro Tony Tornado, apareceu para o Brasil da Ditadura, como um manifestante que combatia a repressão militar, quando participou do Festival Internacional da Canção e saiu vencedor, ao lado do Trio Ternura, com a canção BR-3, de autoria dos compositores Tibério Gaspar e Antônio Adolfo. A música tratava apenas do perigo da rodovia, atualmente BR-040, que liga Minas Gerais ao Rio de Janeiro, que era igual  a rodovia BR-101, que nós temos aqui no Espírito Santo.

Era um hino. Era um marco. Era a estrada da vida, que até os dias de hoje, continua na memória dos brasileiros que começava assim: “A gente corre e a gente morre na BR-3”, que se repetia na letra. Quem não se lembra das personalidades que morreram nela. E a música de Tony Tornado passou a ser uma manifestação em favor das melhorias daquela rodovia, que é tem duas pistas e todas as seguranças necessárias para quem por ela passa.

Neste artigo cujo título é “Os latrocínios na BR-101-ES” é para tratar apenas do perigo da rodovia e de quantas pessoas foram assaltadas nos pedágios da BR-101 e foram mortas em seguida, na BR-101 aqui no Espírito Santo. As vidas humanas estão sendo tratadas com o maior pouco caso pela ECO-101 e as autoridades capixabas agem como se fosse uma coisa natural, mais um acidente de transito. Em menos de 90 dias, só em dois acidentes na BR-101-ES morreram mais de 30 pessoas. Decretar luto de três dias resolve?

“Nóis” num é “dipromado”
Sem diploma, o empresário que se dizia professor, Joesley Batista pode ficar preso em cela comum. Na escola superior ele nunca entrou!

O tamanho do rabo
Fica cada vez mais patente que o advogado Marcello Miller, enquanto era procurador da República, atuou orientando a banca do escritório que trabalhava. Pelo visto, num caso de leniência, e não na delação, como aliás frisam os delatores. Mas o fato é que existem outras delações que contaram com sua participação, e que devem ser observadas. Dizem até que ele indicava os advogados aos candidatos a delator. Isso sem falar nas operações controladas e nas gravações encomendadas. Sérgio Machado e Delcídio do Amaral têm muito a nos contar.

Caiu a internet?
Quando o foco estava sobre o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal – STF o procurador geral da República, Carlos Fernando dos Santos Lima era assíduo no Facebook com comentários inapropriados para o cargo que ocupa. Em agosto, por exemplo, ele postou ou compartilhou 44 matérias sobre o ministro. Agora que o chefe da Procuradoria Geral da República-PGR. Rodrigo Janot está no olho do furacão, um silêncio eloquente.

Vagas de estagiários
As inscrições do processo seletivo para contratação de estagiário de graduação e formação de cadastro de reserva na 3ª Vara Cível de Barra de São Francisco terminam no próximo dia 15, sexta-feira. Poderão participar da seleção os estudantes regularmente matriculados entre o 5º e 9º período do curso de Direito, com frequência efetiva em instituição de ensino integrante da rede pública ou privada. Inscrições no Cartório do Fórum Desembargador Danton Bastos, das 12 às 18 horas.

Condenado, mas absolvido
No município de Itapemirim, de tudo, um pouquinho. Mas por outro lado dinheiro de montão nos cofres da Prefeitura Municipal. O juiz da 1ª Vara Criminal de Itapemirim, José Flávio D’Ângelo Alcuri, condenou o ex-prefeito do município, Alcino Cardoso, por fraude à licitação em contratos do lixo. No entanto, foi extinta a punibilidade do político em decorrência da prescrição – quando o Estado perde a capacidade de punir –, uma vez que a denúncia foi recebida há quase dez anos. Já as irregularidades nos contratos teriam ocorrido na gestão de Alcino, no final da década de 1990. É desse jeito que as coisas andam em Itapemirim.

Tem mais condenação
Do Sul para o Norte, chegamos ao município de Aracruz, onde o juiz da Vara da Fazenda Pública de Aracruz, André Bijos Dadalto, condenou o ex-presidente da Câmara de Vereadores, Ismael da Rós Auer, e mais dois servidores em uma ação de improbidade. O Ministério Público Estadual (MPES) denunciou que o ex-vereador teria cobrado propina para autorizar a incorporação das perdas da URV – conhecido como 11,98% – sobre os vencimentos dos servidores da Casa. Todos os réus foram condenados à perda de eventual função pública, suspensão dos direitos políticos e o pagamento de multa civil.

 Alimentação em presídios
Estava marcada para esta terça-feira (12) uma audiência pública da Comissão de Defesa do Consumidor para debater a qualidade dos serviços de alimentação prestados aos presídios capixabas. Foram convocados proprietários de uma empresa que fornecia alimentos para o sistema prisional e diretores das unidades prisionais. Mas, como a empresa enviou ofício ao colegiado alegando que ela não presta mais esse serviço ao Estado, a comissão decidiu cancelar a audiência.

Pontes no interior
Para facilitar o transporte da produção agrícola e o deslocamento de moradores do campo, o Governo do Estado – por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) – lançou, nesta terça-feira (12), o programa para a construção de pontes em estradas rurais. Quinze municípios serão beneficiados com as pontes: Divino de São Lourenço (comunidade Azul e comunidade da  Penha), Dores do Rio Preto (Comunidade Pimentel), Vargem Alta (Jaciguá), Alegre (Assentamento Floresta), Apiacá (Batatal e Taquaruçu), Mimoso do Sul (Prosperidade), Castelo (Arapoca I, Arapoca II e Braço do Sul), Jerônimo Monteiro (Sertão e Gironda), Iúna (Alto Perdição), Ibitirama (Aparecida e Córrego Paçoca), Água Doce do Norte (São Agostinho I), Governador Lindenberg (Bernabé Izidoro), Mantenópolis (Manoel Carmo, Ponte Santa Luzia e Ponte Alto Santo José), Ecoporanga (Córrego Santa Rita e Muritiba) e Viana (Santo Agostinho).

Na mira da Ales
Os deputados Vandinho Leite e Ênio Bergoli voltaram a ser alvos das criticas dos deputados estaduais. Segundo Enivaldo dos Anjos, eles falam mal dos parlamentares nas bases dos próprios deputados. “Temos que colocar freio neles ou coloca-los para correr. Se fosse outro governo, já teriam sido exonerados”. Já Gilsinho Lopes virou sua mira para Otaciano Neto, dizendo que ela “acha que governa no lugar do governador”.

Sobre os repelentes superfaturados
A compra superfaturada de repelentes pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Espírito Santo causou um prejuízo de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos. O ex-subsecretário de Saúde, José Hermínio Ribeiro, que chegou a ser preso durante as investigações, é apontado como um dos principais mentores da fraude. Ele e sua ex-secretária, Deisiany Klippel da Silva, vão prestar depoimento à Comissão de defesa do consumidor da Ales no dia 26 de setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *