O ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sérgio Moro, recebeu ontem representantes da OEA e da oposição venezuelana para discutir o rastreamento de movimentações financeiras de integrantes do chavismo no País. Moro teria se comprometido a adotar medidas “imediatas” para investigar operações suspeitas, segundo participantes da reunião, realizada um dia após encontro dos venezuelanos com o presidente Jair Bolsonaro.

O presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela no exílio, Miguel Ángel Martín, e o assessor da OEA Gustavo Cinosi pediram para que Moro adotasse medidas previstas na Convenção de Palermo. “Cada país tem o dever de adotar medidas para realizar investigações dentro de seu território”, disse Cinosi. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leonencio Nossa, Mariana Haubert, Camila Turtelli
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *