por Paulo Cesar Dutra

Liderança provavelmente seja o assunto mais discutido e pesquisado no mundo corporativo, dos negócios e sócio-político. Novas teorias a respeito das competências necessárias para um profissional se desenvolver como líder surgem a todo instante com o intuito de fornecer um “mapa” para quem quer se tornar um líder efetivo. Mas será que liderança é algo inato ou uma habilidade que pode ser desenvolvida?

Muitos profissionais procuram seguir fórmulas que teoricamente os levarão à posições de comando, mas acabam se frustrando quando observam que adversários aparentemente menos preparados “sobem” mais rapidamente. É comum se atribuir tal sucesso a um favorecimento pessoal porque algum dos altos executivos ou controladores da empresa possui mais afinidade com tal profissional ou simplesmente porque essa pessoa era “mais política”.

A verdade é que com raras exceções em que favorecimentos injustos realmente ocorrem profissionais que se destacam como líderes apresentam atitudes e competências, sejam conscientes ou inconscientes, que lhes favorecem para atingir tal reconhecimento. Tais atitudes e competências podem vir mais naturalmente para alguns do que para outros, mas com certeza também podem ser desenvolvidas por todos que se comprometerem com esse aprendizado. Até na Natureza, experiências já comprovaram que é possível transformar animais comuns em machos ou fêmeas alfa.

Ainda não estou acreditando que o governador Paulo Hartung já esteja fora das eleições de 2018. Ele tem prazo para se manifestar até o dia 5 de agosto. Só a partir de zero hora e um segundo é que poderemos confirmar oficialmente o destino do Paulo. Na verdade, em seus embates políticos, quando houve disputa, ele nunca venceu com seu instinto da “liderança”, pois nunca foi o deputado estadual ou federal mais votado e, numa única convenção que disputou perdeu.

Ou seja, Paulo não teve as competências primordiais que um político deve desenvolver para se tornar um verdadeiro líder, ou seja, para desenvolver o “instinto da liderança”.

Rumo ao Palácio Anchieta
O ex-governador Renato Casagrande (PSB) e a senadora Rose de Freitas (Podemos) evitam conversas de bastidores sobre a saída do governador Paulo Hartung (MDB) da corrida eleitoral, e não estão perdendo tempo, em busca dos votos “flutuantes”. Como disse a senadora, “vai dar tudo certo, eu acredito”.

Ricardo e Amaro
Enquanto o senador Magno Malta (PR) segue trilhando sozinho em busca da sua reeleição, o senador Ricardo Ferraço e o deputado estadual Amaro Neto já “fazem parte” da aliança com Renato Casagrande, segundo está sendo comentado nos bastidores. Verdade ou mentira¿

Vinte sem rumos
O que ‘deita e rola’ nos bastidores é que os 20 deputados estaduais que estavam na cota do governador Paulo Hartung, confiantes nas suas reeleições com apoio do Palácio Anchieta, estão mais perdidos de que cachorro que cai do caminhão da mudança. Sem rumos!

 Carmen Lúcia presidente
Entre hoje e amanhã, o Brasil terá uma nova chefia. Na verdade, não é tão nova assim, já que esta é a terceira vez que faixa presidencial vai pertencer a ministra Cármen Lúcia, enquanto Temer, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira estão fora do país. Desta vez, porém, acontece um fato distinto: o recesso do judiciário. Com a presidente do STF ocupando a chefia de outro Poder e o vice-presidente da Suprema Corte de férias, quem fica com o Supremo Tribunal Federal – STF?

A Ministra Cármen Lúcia suspende resolução da Agência Nacional de Saúde – ANS sobre franquia e coparticipação em planos de saúde. Resolução 433/18 permite que operadoras cobrem dos clientes até 40% do valor de cada procedimento realizado. Cármen Lúcia também suspendeu liminar que havia impedido parceria da Telebrás com a empresa americana Viasat para exploração do satélite que promove a distribuição do sinal de banda larga. Vários programas com o uso do satélite brasileiro estavam parados, entre eles o “Internet para Todos”.

 Los Hermanos
Os tribunais argentinos agora poderão usar informações e provas obtidas por meio de delações premiadas e acordos de leniência firmados no Brasil, no âmbito da Lava Jato. A novidade vem após acordo firmado entre a Procuradoria Geral da República – PGR e o Ministério Público Fiscal da Argentina.

Impulsionamento eleitoral
Decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso – TRE/MT determina que o Facebook apresente informações sobre impulsionamento de campanhas de pré-candidatos. Na decisão, o magistrado Jackson Francisco Coleta Coutinho salienta a ilegalidade da publicidade paga na internet – post patrocinado – em período anterior ao eleitoral.

Discriminação
Mulher transexual que foi impedida de usar banheiro feminino da empresa onde trabalhava será indenizada por dano moral. A decisão é do juiz do Trabalho Munif Saliba Achoche, da 49ª VT do Rio de Janeiro, ao considerar como discriminatória e preconceituosa a conduta da empresa, mesmo após a empregada ter a mudança de nome civil reconhecida.

 Projeto do Programa de Integridade
A Câmara Municipal de Vila Velha aprovou em regime de urgência o Projeto de Lei nº 3.594/2018, de autoria da vereadora Dona Arlete (PSL), que prevê a obrigatoriedade de Programas de Integridade (Compliance) para empresas que vierem a celebrar contratos, consórcios, convênios e/ou parcerias com a Administração Municipal. Com o aval do plenário, a matéria agora seguiu para a sanção do prefeito Max Filho (PSDB).

De acordo com Dona Arlete, a proposição busca garantir o uso correto e eficiente do dinheiro público e prevenir irregularidades que possam resultar em prejuízos financeiros, desvios de conduta e fraudes em contratos com valores acima de R$ 200 mil e com prazos de execução iguais ou superiores a seis meses. Segundo a proposição, as empresas terão 180 dias para se adequarem à lei, a partir da data de assinatura do contrato, ou em caso de contratos em vigor, com prazos de validade superior a 12 meses, a partir da data da publicação da lei.

“Com este projeto, vamos trazer mais segurança para administração pública em nosso município, na hora de contratar alguma empresa para prestar serviços ou executar obras. Até o momento, não temos nenhuma lei nesse sentido em nosso Estado. Então, seria muito importante assegurarmos este avanço em Vila Velha, que é uma das cidades mais importantes do Espírito Santo”, destacou Dona Arlete.

Produção de etanol
Com o objetivo de tornar a regulamentação referente à produção de biocombustíveis mais simples e menos burocrática, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) optou por derrubar oito resoluções vigentes e unificar as regras em um único marco. Desde o começo de julho, as normas que autorizam as companhias a produzir biocombustíveis e operar uma usina estão em apenas um documento: a Resolução ANP nº 734/2018.

O caminho até a publicação em Diário Oficial foi longo. Em 2017, a ANP realizou reuniões com agentes de mercado e, na sequência, elaborou uma minuta. O documento passou por um processo de consulta e audiência públicas até chegar em sua versão final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *