governo2
Leonardo Oggioni Cavalcanti de Miranda é novo secretário Estadual de Direitos Humanos. Foto: Thais Rossi.

Tomou posse nesta quarta-feira (16), o novo secretário Estadual de Direitos Humanos. Leonardo Oggioni Cavalcanti de Miranda aceitou o convite do Governador Paulo Hartung, após dois anos a frente da Defensoria Pública. Em seu discurso de pose, ele afirmou que atuará junto aos membros da sociedade civil e movimentos sociais.

“Vamos fazer um trabalho de muito diálogo. Eu não sou salvador da pátria, e sei que não vou mudar o mundo. Temos um tempo bom até o fim do ano, e vamos precisar trabalhar com muita objetividade. Temos muito trabalho pela frente”.

Segundo o novo secretário, serão detectadas as prioridades da pasta, para que elas sejam colocadas em prática até o fim de 2018, e lembrou que há certo desconhecimento e preconceito em relação aos Direitos Humanos, que é sempre ligado a crimes e ao sistema prisional.

“São pautas importantes sim, fazem parte dos Direitos Humanos. Mas é só um pedaço de todos os objetivos e prioridades que temos dentro da pasta. Precisamos entender que ao falar de Direitos Humanos, estamos falando de respeito aos direitos de todos nos. É legalidade”, afirmou.

Segundo o secretário, será possível esclarecer esses paradigmas a frente da pasta. Entre os pontos principais, ele lembrou que é preciso trabalhar na evolução do sistema socioeducativo. Falou também sobre o programa Ocupação Social, que recebeu um financiamento de 71 milhões de dólares do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

“É um dinheiro elevado, que precisamos operacionalizar com muita responsabilidade, e vamos fazê-lo. Por si só, é um programa que tem obtido resultados. O que precisamos é dar continuidade e aperfeiçoar. Por fim, há a própria pasta, os conselhos e diálogos com os movimentos sociais. São pautas que quando olhamos, vemos que o desafio é grande”.

A pasta de Direitos Humanos estava sob a gestão de Júlio Pompeu, que se afastou do governo para disputar as eleições como deputado estadual pelo PDT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *