Devido a grande amizade que sempre nutri com o engenheiro e notável administrador Chrisógono Teixeira da Cruz, vez por outra, alguém me pergunta: ”As notícias do Chrisógono?” e, invariavelmente, digo, “não sei!”, porque na verdade não sei mesmo, e tenho pavor em saber. Não posso admitir que uma pessoa válida, de um raciocínio lógico impressionante, o melhor prefeito que Vitória já teve, tenha um AVC e fique paralisado há meses sobre uma cama, em seu apartamento, rodeado do carinho de familiares. Tenho certeza que não era esse fim de vida que alguém como Chrisógono merecesse, imaginasse…

Vários anos, com uma precisão extraordinária, nos reuníamos em almoço: Américo Buaiz, Crisógono, Cariê, eu e, as vezes, Arthur Carlos Gerhardt Santos e, quando vinha de Londres tomar ares em Vitória, o empresário Jônice Tristão. A morte de Américo nos abalou muito. O mais sentimental do nosso grupo sempre foi o Cariê mas, teimosamente, resistimos a ausência do amigo Américo, até que numa manhã despertamos com o AVC do caro amigo “Português”, como era tratado carinhosamente no grupo, que falava mais de coisas pessoais, pitorescas, do que propriamente a vida alheia ou de política, a não ser casos tidos como graves.

Chrisógono e eu, temos outro amigo em comum, o fascinante Philadelfo de Almeida Freitas, o homem que mais entende de bomba, para qualquer tipo de atividade empresarial. Amamos o Philadelfo, pela sua inteligência, sorriso cativante, pela seriedade com que trata as coisas, os negócios. Philadelfo falou, tá falado!

Todas as vezes que o Philadelfo me surge, me trás notícias de Chrisógono, curtas informações, porque me privo apenas do dever de ouvi-lo, por não querer saber desse tipo de informações sobre um dos mais caros amigos que tenho. Cariê diz sempre: “Cris” é inigualável!!”

Enquanto resistimos ao tempo, vou aproveitar para marcar um almoço com o estimado Cariê, o mais brilhante, se não o mais notável amigo que alguém possa ter.

Vamos aguardar o desfecho do sofrimento do velho e querido “Cris”, que já não nos conta mais suas façanhas da mocidade.

Raios, por que pessoas como Chrisógono, o melhor amigo do mundo possa sofrer tanto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *