WhatsApp Image 2018-01-19 at 11.57.24 (1)O último dia de cadastramento biométrico para os eleitores de Vila Velha acontece nessa sexta-feira (19). A cena já é conhecida: fila enorme e pessoas que passaram a madrugada na porta do local serem atendidas. Bem diferente de quando a reportagem esteve por lá, em junho de 2017, e a central estava praticamente vazia. Cerca de 25 mil eleitores ainda não fizeram o cadastramento.

Segundo o coordenador da central biométrica, Marcos Roberto de Souza, até o momento cerca de 78% do eleitorado de Vila Velha fez o cadastramento. A meta é atingir 80%. Para quem ainda não conseguiu ser atendido, estão sendo distribuídas senhas até as 18h de hoje para comparecimento a central na sexta e sábado que vem. Segunda a quinta-feira está esgotado.

“Não é uma prorrogação, mas uma extensão do atendimento porque nossa capacidade de atender no dia já estourou. Então estamos distribuindo senhas para que a pessoa seja atendida no dia posterior. Ou seja, a partir de amanhã já estaremos atendendo. Só será atendido com ela. Se você chegar aqui sem senha, não será atendido”, explicou o coordenador.

Disse ainda que a prorrogação pode ser estendida, mas apenas para quem tiver a senha, que tem data. O atendimento está limitado a 2500 atendimentos por dia a partir de agora. “Dessa forma não tem tumulto e conseguimos distribuir melhor os atendimentos”.

Quem não fizer o cadastramento biométrico não poderá votar, se matricular em instituições de ensino público, tomar posse em concursos e tirar passaporte. “Algumas empresas ou órgãos podem solicitar certidão de quitação, que se a pessoa não tiver, pode ter problema. Temos casos de pessoas chegando aos cartórios eleitorais, encaminhados pela receita federal, dizendo que precisam acertar o título primeiro para depois o CPF. Então impacta em alguma coisa no CPF”, disse Marcos Souza.

Eleitores

Para os eleitores que deixaram para última hora restou ter muita paciência e disposição. O porteiro Carlos Magno Cipriano chegou às 21h de quinta-feira (18) e passou a noite em claro na fila sentado em uma cadeira de praia. Ele disse que procurou atendimento antes, mas não conseguiu ser atendido.

“Já tinha muita gente quando cheguei. Umas 15 pessoas. Esperei mais ou menos uma hora para ser atendido. Eu estava acidentado, por isso não vim antes. É péssimo deixar para última hora. Não vale a pena. Se tiver condições, venha antes”.

WhatsApp Image 2018-01-19 at 11.57.24 (2)O cabeleireiro João de Oliveira chegou às 3h e também levou uma cadeira de praia. “Tinham umas 1000 pessoas na frente. Passei a noite nessa cadeira. Eu viajo muito, não tenho muito tempo. Deixei mesmo para última hora. É muito chato. Muita fila, criança no colo de mãe, pessoas idosas. Mas o brasileiro deixa tudo para última hora”.

O vidraceiro Everaldo Scheneider chegou um pouco mais tarde, às 7h30. “Dizem que 12h eu estou lá dentro. Se conseguir uma senha, já está bom. É coisa do brasileiro. Quando estava tudo tranquilo, ninguém quis vir. Tenha muita coragem, disposição e nada pra fazer. Porque ai você pode vir”.

Fabiana Lamberti é auxiliar de escritório. Disse que deixar de atender os clientes estava difícil. Por isso, ela só teve tempo de comparecer a biometria hoje. “Esquece do dia. Venha e fique light. Traga uma cadeira, tome um calmante. Se acomoda e não pense muito. Se for assim, você não vem”.

WhatsApp Image 2018-01-19 at 11.57.24Enquanto os eleitores esperavam, uma música tocava no piano. Era o músico Jefferson Correia, que disse fazer isso sempre que vai ao shopping. Além de entreter, ele explicou que foi uma forma para passar o tempo, já que também é eleitor e aguardava atendimento.

“Estou matando o tempo, cheguei as 6h. Não consegui vir outras vezes. Também vim de última hora. Pedi para abrir o piano e estou aqui. Não é uma experiência boa ficar aqui. Mas se quiser vir e ouvir uma boa música, o convite está feito!”

Junto com ele estava o representante comercial Walace Vidigal. Ele canta e resolveu acompanhar o músico. “Passamos aqui e temos um talento. Porque não usar enquanto esperamos? Estou aqui desde às 8h. Cheguei, já dei uma volta e agora estou aqui. Não vim antes porque não dei a devida importância. Nunca deixe para amanhã o que você pode fazer hoje!”, aconselhou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *