Foto: Divulgação/Governo
Foto: Divulgação/Governo

Nos primeiros quinze dias do mês de outubro, quatro pacientes internados no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, foram diagnosticados com morte encefálica, e três famílias autorizaram a doação dos órgãos para transplante. Com essa atitude, essas famílias deram a 11 pessoas a chance de continuar vivendo e de ter qualidade de vida, um gesto de amor e solidariedade.

Uma das famílias que autorizou a doação foi a do Matheus, de apenas 15 anos, que sofreu traumatismo craniano. A mãe recebeu a notícia do falecimento do filho e disse ter “perdido o chão”. “Eu nunca pensei que fosse enterrar um filho, essa não é a ordem da vida. O Matheus era um menino doce, muito amoroso comigo, e saber que o coração dele bate no peito de outra pessoa me conforta, me faz acreditar que nada foi em vão”, contou a mãe, Vanuza Cantão.

Do Matheus foram doados rins, fígado, coração e córneas. “Meu filho já não está mais comigo, mas eu poderia salvar a vida do filho de alguma mãe desesperada. Essa sensação de amor ao próximo não tem preço”, completou Vanuza.

Segundo a enfermeira referência da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, Daniela Souza, o hospital costuma registrar um doador de múltiplos órgãos por mês, e chamou a atenção da equipe o fato de três, entre quatro famílias, terem autorizado a doação em apenas quinze dias.

“Atribuímos esse resultado à intensa disseminação de informações no último mês pela campanha Setembro Verde. Realizamos muitas ações de esclarecimento e de incentivo à doação de órgãos aqui no hospital. E o assunto também ganhou grande destaque na imprensa, o que estimula as pessoas a repensarem seu posicionamento. Este é um assunto sobre o qual precisamos conversar em casa para deixar a nossa vontade clara, de forma que a família não tenha dúvidas na hora de tomar a decisão”, comentou Daniela.

Ela explicou que pacientes potenciais doadores são acompanhados pela CIHDOTT e as famílias recebem todo o suporte necessário. “Entendemos que o momento é de luto, de difícil compreensão e de muitos questionamentos, por isso, estamos sempre por perto. O apoio nessas horas é fundamental para superar a perda e para que entendam que outras pessoas podem ser salvas por um gesto de amor”, disse a enfermeira da CIHDOTT do Hospital Dr. Jayme.

Saiba mais

Dos três pacientes cujas famílias autorizaram a doação dos órgãos para transplante, dois estavam em condições clínicas para efetivamente doar. No total, foram captados coração (01), rim (04), fígado (02) e córneas (04). Todos os órgãos foram transplantados em pacientes aqui mesmo no Espírito Santo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *