Foto: reprodução/Web
Foto: reprodução/Web

A Vigilâncias de Saúde dos municípios da Grande Vitória registram juntas 63 casos de meningite em 2017: Cariacica (29), Serra (13), Vitória (17) e Vila Velha (4). A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que, ao todo, recebeu 277 notificações de casos da doença esse ano, oito a mais que em 2016 (269).

Uma das hipóteses apontadas pelo infectologista Eumann Mattos Rebouças para o aumento de casos é o tempo frio. Ele ocasiona fechamento dos ambientes e consequentemente, a convivência durante mais tempo, o que facilita a ação do vírus.

Mas afinal, o que é meningite? Segundo o infectologista, é uma infecção das meninges, uma camada que envolve o cérebro, causada por bactérias e vírus. Ela pode ser fúngica ou  virótica, que são menos graves e podem ser tratadas com antibióticos; e bacteriana (ou meningocócica), mais difícil e que em casos extremos, pode deixar sequelas ou levar a morte.

“A virótica evolui mais benigna, não mata e tem tratamento mais fácil. A bacteriana precisa dos antibióticos. As sequelas vão depender da bactéria. Algumas podem deixar deficiente físico ou mental. Principalmente a meningocócica, que aparece mais em crianças por conta de lugares fechados, como creches e escolas”.

Foi o que aconteceu em uma Unidade Municipal de Ensino Infantil (UMEI) de Vila Velha. A Vigilância Epidemiológica do município determinou o fechamento do local no último dia 21. Ela permanece sem funcionamento até a próxima sexta-feira (25) por precaução a um possível surgimento de novos casos. Até o momento, foram confirmados quatro (um de bacteriana e três de vírus). Outro caso está sob análise.

“Quando ocorre surto, fecham a escola por um tempo e as crianças que tiveram contato com quem esteve no local podem fazer medicação profilática (prevenção da doença) para evitar que as outras também peguem”, explicou o infectologista.

Ainda segundo ele, não há dados estatísticos quanto a forma mais grave da doença. Há casos de mortes fulminantes, mas tudo depende da idade e sistema imunológico do paciente. O diagnóstico é feito por pulsão lombar, onde é retirado líquido da medula. O resultado é imediato. “Geralmente os sintomas aparecem como uma gripe muito forte: dor de cabeça, vômito e febre. No caso da meningite, eles ficam prostrados (o que causa abatimento)”.

Disse que ainda que a transmissão é pela proximidade e a pessoa não precisa estar necessariamente doente para contagiar outra. Não há muito o que fazer para prevenir, mas lugares arejados e com janela aberta são uma boa opção. Esclareceu também que a meningite tem cura e depende muito do diagnóstico precoce. Quanto mais rápido, melhor. Já o tempo de tratamento depende. No caso de bactérias mais violentar, são mais difíceis. Outras são rápidas.

“Particularmente eu não tenho percebido aumento de casos. Mas nessa época de frio e inverno, eles são mais comuns. A gravidade da meningite depende de qual germe está causando. As de surto são graves, mas se diagnosticadas com rapidez, o tratamento é tranquilo e fácil”, finalizou.

Prefeitura de Vila Velha

A Prefeitura de Vila Velha informou um dos casos registrados é do tipo meningocócico em um menino, que já se encontra em casa e passa bem. O diagnóstico foi feito em 7 de agosto e resultado no dia 14. A medicação nos contatos intradomiciliares e escolares foi feita nos dias 14 e 15.  As outras três confirmações são de meningite viral (diagnosticados em 16 e 20 de agosto respectivamente). Um quatro caso foi descartado no último dia 21.

Disse ainda que o caso suspeito que aguarda confirmação foi encaminhado para o Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba), na Glória, onde permanece em observação. A Coordenação Epidemiológica informa que solicitou à Vigilância Ambiental coleta de amostra de água para análise; e a Sanitária vistoria e fornecimento de orientações para manter o ambiente adequado.

Informou também que paralelamente ao trabalho de higienização e medicação na unidade escolar, as equipes do programa saúde na escola e de educação infantil estão apoiando pais e familiares com informações para tranquilizá-los.

Prefeitura da Serra

A Prefeitura da Serra informou que no mesmo período de 2016, confirmou 10 casos de meningite sem registro dos casos meningocócicos, assim como em 2017. Entre a principal forma preventiva está a vacinação disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS): pentavalente, BCG, meningocócica conjugada e pneumocócica conjugada 10-valente. As doses estão disponíveis nas 40 unidades de saúde do município, conforme cronograma da sala de vacinação de cada uma.

Prefeitura de Vitória

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Vitória informou que realiza o monitoramento de doenças transmissíveis ou não, atitude que auxilia o planejamento e a execução de ações em saúde pública. Várias dessas doenças são de notificação compulsória, onde o profissional de saúde é obrigado a avisar à Semus o diagnóstico de casos, mesmo que suspeitos. Além disso, disse que realiza o acompanhamento dos pacientes internados e/ou notificados bem como das coberturas vacinais

Prefeitura de Cariacica

A Secretaria de Saúde de Cariacica informou que realiza ações de educação em saúde e prevenção a meningite através da oferta de vacinas nas unidades de saúde e em Campanhas Anuais do Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *