É o título do recém lançado livro de autoria do escritor, músico, jornalista, empresário da área de comunicação e produtor rural, Cariê Lindenberg, com uma profunda “reflexão sobre a crise na política brasileira”.

Cariê começa suas observações a partir da posse de Dilma Rousseff na presidência da República, exatamente no seu discurso,  e, sobre a economia nacional, resume: ‘Constato ainda, que a inflação cresceu 4,30% para 6,40% de 2009 até 2014, que a nossa dívida pública subiu de 56,5 bi em 2010 para 63 bi em 2014, e que o PIB – ah, olhe aí, o tal do pibinho – caiu de 7,53 para 0,14 no mesmo período. Vejamos que o resultado primário em relação ao PIB baixou de 2,3 em 2011 para 0,39, até novembro de 2014.

Dos problemas gerados com o surgimento das apurações pela Polícia Federal ao processo Lava-Jato, sob o comando do magistrado da Justiça Federal, em Curitiba, Sérgio Moro, Cariê faz uma apreciação clara, profunda, desse processo ímpar na justiça nacional, com o envolvimento das mais importantes personalidades do mundo político e empresarial, atoladas até as orelhas no mar de lama da corrupção.

Da atualidade da conturbada vida política nacional, na sua retrospectiva de diante para trás, Cariê fecha suas observações em “Muito longe do fim” até o Estado Novo, sob o comando de Getúlio Dornelles Vargas, sua tomada de poder, com um golpe, que durou 15 anos,  até sua destituição, quando foi eleito pelo voto direto, até seu suicídio, em agosto de 1954, com um tiro no peito.

Nas 143 páginas do livro onde faz observações seguras sobre a vida política nacional Cariê é preciso com os fatos e com as datas e com uma isenção que faz jus ao seu comportamento ético, aliás em relação a tudo que faz, sem afetação e sem fugir para o campo das suposições, pela cronológica utilização dos fatos políticos que têm tanto enlameado a vida nacional e seus profundos deslizes na economia.

“Muito longe do fim” é, na realidade, uma profunda reflexão sobre a crise política nacional e, como ex – militante na política, filho de um dos melhores governadores que o Espírito Santo teve a felicidade de ter, Carlos Lindenberg, Cariê circulou, através de suas reflexões, com desenvoltura e determinação.

Seu livro teve noite de autógrafo das mais concorridas e está disponível nas livrarias para quem gosta de história. No lançamento, a renda foi destinada à Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer. Como sempre, um altruísta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *