Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo perdeu, no dia 22 último, um dos seus mais importante empreendedor, na pessoa do empresário Antônio Neffa Sobrinho (1927-2018), um homem de visão rara e que amava a terra em que nasceu.

Minha amizade com Toninho começou por volta de 1955, através do também empresário Américo Buaiz. Depois, já em 1959, quando fui levado por Américo para a Federação do Comércio, Toninho ajudava seu pai, comerciante do ramo atacadista, já se mostrava incansável na arte de comercializar e de construir empreendimentos.

Idealizou a rede de Supermercados São José, esse filho de imigrantes libaneses que se radicaram no Espírito Santo e nunca mais se afastaram daqui, mostraram do que eram capazes no campo do trabalho. A rede de hotelaria e supermercados foi criação de Toninho, como era largamente conhecido, até que seu gênio criativo levou-o, com grande sacrifício empreender a construção do Centro de Convenções Vitória, o mais importante e moderno espaço voltado para reuniões na capital do Estado, no bairro de Santa Lúcia, onde toda família Neffa (irmãos e filhos) se misturavam com empregados na importante arte de prestar serviço, sem qualquer constrangimento, ombro a ombro com seus colaboradores.

Não faz muito tempo, quando entrei num de seus estabelecimentos, ele era empurrado numa cadeira de rodas, fruto de um AVC, que sacrificou seus movimentos. Fiz o que pude para não me aproximar dele, mas entendi que seria injusto vê-lo, sem dizer ao menos um alô, um estúpido “como vai”, para alguém que sempre nutriu uma impressionante força de trabalho. Falou comigo com a maior naturalidade, como se não tivesse acontecido nada com ele. Há alguns anos, quando o SESC estava adquirindo o Edifício Glória, procurei-o para conversarmos sobre o “castelinho”, onde fora residência da família, na Av. Capixaba, defronte o velho mercado. Toninho me relatou alguns problemas com o velho casarão, onde estava habitado por invasores, me dando uma esperança: ”Se algum dia meus irmãos e filhos quiserem vender, você terá a preferência”. O “castelinho” é uma das raras obras do Centro de Vitória que merecem ser preservadas. Não se constrói mais uma obra daquela importância  e sua restauração será um trabalho penoso, para a atualidade. Faz pena vermos construções com a casa dos Neffa e a dos Von Schilgen abandonadas à própria sorte.

Antônio Neffa Sobrinho foi um dos grandes empreendedores que o Estado do Espírito Santo teve e que morreu trabalhando, empurrado na cadeira de rodas, dando ordens e tratando da arrumação dos estabelecimentos que construiu. Perdemos um dos grandes empreendedores do nosso tempo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *