A disputa do título mundial de surfe terá mais um capítulo nesta segunda-feira, quando o Pipe Masters deve ser encerrado no Havaí. Neste domingo, o brasileiro Gabriel Medina avançou para a quarta fase e se manteve otimista na busca pelo bicampeonato mundial. Outro brasileiro, Filipe Toledo, perdeu e está fora da disputa.

Com ondas que chegaram a quatro metros em alguns momentos na praia de Pipeline, Medina fez sua parte e avançou para a quarta fase ao bater o havaiano Seth Moniz por 14,30 a 11,83 em um duelo equilibrado. Os torcedores locais vibravam com cada tubo do garoto havaiano, mas os fãs brasileiros faziam a festa a cada resposta de Medina.

A família do surfista estava na praia e comemorava a cada boa nota que o campeão mundial de 2014 tirava. Bem perto do mar, o padrasto e técnico Charles Saldanha sofria, até poder festejar quando saiu a virada na bateria que garantiu o atleta na próxima fase. A mãe Simone e o irmão Felipe também vibraram muito.

“Eu consegui uma boa onda, e depois uma segunda que me colocou na liderança da bateria. Estou bem empolgado. Pensei que o mar fosse estar maior, mas está com um tamanho bom e está sendo um desafio para todos os surfistas. Eu estou focado na próxima fase, será complicada, e vamos ver quem consegue mais tubos bons para avançar”, disse.

Depois de fazer sua parte, Medina foi ver o amigo Miguel Pupo em ação. Os dois vivem em Maresias, são muito próximos, e coube o destino que o companheiro de tantas remadas caísse na mesma bateria de Julian Wilson. Mas o australiano acabou levando a melhor e se manteve vivo na briga pelo título mundial ao fazer 8,43 a 7,00.

Já o brasileiro Filipe Toledo deu adeus à disputa do título mundial de surfe. Ele acabou sendo derrotado pela lenda Kelly Slater na última bateria do dia, válida pela terceira fase do Pipe Masters. O norte-americano deu um show em Pipeline e ganhou de 15,60 a 6,77, avançando na competição no Havaí.

Na quarta fase, Medina vai enfrentar Michel Bourez, do Taiti, e Sebastian Zietz, do Havaí, na segunda bateria do dia. Wilson, por sua vez, terá de encarar o australiano Joel Parkinson e o brasileiro Yago Dora. Quem ficar em último em sua bateria estará eliminado da etapa. Os surfistas que avançarem vão para as quartas de final.

Em linhas gerais, Medina precisa chegar à final em Pipeline para não depender de qualquer outro resultado. Se cair na semifinal, Wilson precisa vencer o Pipe Masters. Se o brasileiro cair nas quartas de final ou antes, seu rival precisa no mínimo chegar à final da etapa para tirar o bicampeonato mundial de Medina.

Confira como ficaram as baterias da quarta fase:

1ª bateria – Ryan Callinan (AUS), Jordy Smith (AFS) e Conner Coffin (EUA)

2ª bateria – Michel Bourez (TAI), Sebastian Zietz (HAV) e Gabriel Medina (BRA)

3ª bateria – Yago Dora (BRA), Julian Wilson (AUS) e Joel Parkinson (AUS)

4ª bateria – Jesse Mendes (BRA), Joan Duru (FRA) e Kelly Slater (EUA)

Paulo Favero
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *