medica-sumida2-576x1024
Jaqueline Colodetti está desaparecida há quase duas semanas. Quem tiver informações deve ligar para os telefones disponibilizados pela família.

A cardiologista Jaqueline Colodetti, 50, que está desaparecida desde o dia 3 de abril, pode ter sido vista na cidade de Jequié, no Estado da Bahia. A informação é da sobrinha dela, Raíza Colodetti. Segundo ela, o local fica há 20 km de Poções, onde a médica teria sido deixada quatro dias após pegar carona na BR 262 com um caminhoneiro. 

“A última informação concreta foi à questão do caminhoneiro. Familiares nossos, que estão na região ouviram relatos de frentistas e hippies, que também teriam a visto no mesmo dia, perto do posto onde ela foi deixada. Outra informação é que ela teria sido vista em Jequié, há 20 km depois de Poções. Mas ainda não confirmamos. Estamos indo atrás de mais detalhes”.

Segundo Raíza, o caminhoneiro disse à família que Jaqueline estava um pouco desorientada, com medo, olhava para os lados, e pediu para ser deixada na cidade seguinte. Outros detalhes, que não estão sendo divulgados, fazem os familiares acreditarem que era realmente ela.

“Inicialmente, acreditamos nele. Tenho alguns parentes lá, que ainda estão tentando imagens. Não sei como a polícia da Bahia está trabalhando, mas sei que eles estão cientes. Temos muito apoio em Poções”.

As buscas por Jaqueline já chegaram até a cidade de Sergipe. Segundo Raíza, dois familiares voltaram de lá na última quinta-feira (12), e outros cinco estão no local. Eles procuram na BR 101, que dá acesso a Feira de Santana. “Se tiver informações concretas, vamos aonde for. Mas sem algo que nos leve, é um pouco complicado, porque ela pode ter se deslocado para outros lugares e fica impossível”.

Raíza informou que tem pouco contato com a polícia capixaba. Por isso, não sabe como estão às investigações no Estado. Quanto ao bilhete encontrado no carro de Jaqueline, a família tem poucas informações. Eles sabem apenas que eram palavras desconexas e mal escritas.

Ela tinha uma preocupações do dia a dia, que a família toda tinha. Sempre foi a que apoia a família em tudo. Quando alguém adoecia ou aconteciam perdas, ela tomava a frente de tudo. Mas sempre lidou muito bem com isso. Não era nada que ela não suportasse a carga emocional”.

No dia do desaparecimento, Jaqueline seguiu a rotina normal. Saiu cedo para trabalhar, em Santa Leopoldina. O último contato dela foi com pacientes e equipes que trabalham no hospital. “Disseram que ela atendeu normalmente. Tomou um café, conversou e voltou para Cariacica. Nada que os levasse a desconfiar”, disse Raíza.

O caso

A cardiologista capixaba Jaqueline da Penha Colodetti, 50, está desparecida desde à tarde do dia 3 de abril. Ela teria sio avistada pela última vez, próximo ao Rio Jucu, em Viana.

A médica, que tem uma clínica em Campo Grande, Cariacica, também realiza atendimentos em Domingos Martins e Santa Leopoldina, na região Serrana do Estado. Ela retornava de uma consulta em Campinho, quando teria desaparecido.

Jaqueline tem 3 filhos, é loira, magra, tem aproximadamente 1.70m de altura, cabelos loiros e olhos castanho claros. A família pede que quem tiver informações sobre o paradeiro dela entre em contato imediatamente pelos telefones (27) 98802-6205, (27) 99989-3396 ou (27) 99909-1524.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *