Saiu publicado um estudo encomendado pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) sobre o desenvolvimento da região da Grande Vitória, que poderá ter a criação de 57 mil vagas de emprego, após a inauguração do novo terminal do Aeroporto “Eurico de Aguiar Salles”, em Vitória, no dia 29 de março último.

Os tais fatores criados pelo estudo para um cenário positivo na região são: ampliação de linhas aéreas em Vitória, maior capacidade para receber passageiros – passará de 3,3 milhões para 9,4 milhões por ano e, principalmente, a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre os combustíveis de avião.

O estudo não revela, apesar de absurdamente otimista, que os combustíveis para aviões cobrados no Aeroporto de Vitória são os mais caros do mundo. O Estado cobra 25% de ICMS sobre os combustíveis consumidos e os operadores do Aeroporto Eurico Salles pediram uma redução do ICMS para 12%, como benefícios como novos voos e mais empregos em toda cadeia produtiva da aviação e turismo, destacou o sr. Eduardo Sanovicz, presidente da Abear.

O secretário de Estado da Fazenda, sr. Bruno Funchal, diante do pleito de redução do ICMS sobre combustíveis de aviação soltou pérolas econômicas: “Nosso Aeroporto era um gargalo. Como trazer mais voos e mais abastecimento com um Aeroporto com a capacidade no seu limite? Com a expansão, o impacto de uma revisão tributária acaba sendo muito maior”.

Somos demasiadamente pobres. Como, a economia de um estado pode estar atrelada a litros de combustíveis para aviação, consumidos em seu Aeroporto, embora as estatísticas comprovem que são os preços mais elevados do mundo.

Como e onde incentivar o desenvolvimento econômico do Espírito Santo? Quem está pensando em desenvolvimento? Promover o emprego público não gera o desenvolvimento, ao contrário, provoca desequilíbrio, provoca o aumento de impostos, a sociedade fica sem maiores perspectivas, não atraímos investidores, que esbarram em 69 obrigações fiscais e parafiscais a serem cumpridas durante o ano, a mais estúpida carga tributária do universo.

A verdade é que o Aeroporto de Vitória, após 16 anos de espera, viu ampliada sua pista e as obras continuam por um bom tempo ainda. Apenas a pressa da inauguração foi devido ao prazo limite, que não pode ser depois do dia 06 de abril, devido ao ano eleitoral, se efetivamente ocorrer…

Quero ver onde chegarão 57 mil empregos… Talvez no lastro dos R$ 357 milhões cobrados a mais sobre a obra que não acabou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *