Cerca de 558 kg de lixo, recolhidos de 6 km de praias do município de Aracruz, norte do Estado, de abril a maio deste ano. O maior volume é de garrafa pet: 2.047 unidades. Também foram retirados pneus, boias de barco, isopor, garrafa de cerveja, lata de óleo de motor, entre outros. O trabalho foi feito pela Associação Vivas Algas, que trabalha pela conscientização ambiental.

Um dos voluntários, o gestor ambiental Márcio Coutinho de Oliveira, informou que tudo foi recolhido em 98 sacos de lixo com 100 litros cada, da praia de Santa Cruz a Praia Formosa. O município de Aracruz é região de reserva marinha e uma das Área de Proteção Ambiental (APA) que mais produz algas no mundo.

“Tem peixes, tartarugas e polvos. São áreas marinhas de Refúgio de Vida Silvestre (RVS), protegido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). É nacional e as pessoas podem visitar. Vai da serra até Aracruz, passando por Fundão. Coletamos o lixo em uma área de refúgio mais curta”.

Ainda segundo ele, a necessidade de fazer caminhadas pela manhã esbarrava com uma grande quantidade de lixo pelas praias. Em período de um ano, ele e outras 12 pessoas instalaram 15 lixeiras feitas de pneu embaixo de árvores, próximas ao asfalto e em outros pontos estratégicos. Também foram colocadas placas educativas com a frase “Leve o seu lixo. Os peixes e as tartarugas agradecem”, para chamar a atenção dos banhistas. O resultado tem sido positivo.

“As lixeiras estão sendo utilizadas pelos banhistas. Percebemos uma conscientização. Antes elas deixavam fora do saco de lixo, embaixo das arvores. E ali não tem coleta. É um ciclo, temos que manter as placas e instalar mais lixeiras”.

O lixo foi exposto para alunos da Emef Santa Cruz nesta semana. E estará aberto ao público de 18 a 20 de agosto na Festa de Santa Cruz (em local a ser definido). Também há possibilidade de outros centros de ensino receberem a exposição. Boa parte do trabalho é mantida pelos próprios voluntários. Quem quiser ajudar pode entrar em contato através da página Associação Vivas Algas no Facebook.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *