bolsonaro e magno maltapor Paulo Cesar Dutra

O Palácio Anchieta tem interesse de que o senador Magno Malta (PR) seja candidato á reeleição. Tudo vem sendo discutido em meio a uma outra possibilidade: o evangélico ser vice na chapa presidencial de Jair Bolsonaro (PSL). A informação é do deputado federal Carlos Manato (Solidariedade), parlamentar que dá sustentação à candidato de Bolsonaro, que é bem colocado nas pesquisas eleitorais.

Correção
Bastidores errou ao noticiar que o prefeito de São Mateus, Daniel Santana Barbosa, conhecido como Daniel da Açaí, e o vice-prefeito José Carlos do Valle Araújo de Barros, voltariam a ser julgados pelo Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo – TRE/ES. Contudo, o órgão nos corrige, pois o processo do político foi encaminhado para o Tribunal Superior Eleitoral, em dezembro de 2017, para a definição da situação do mesmo.

Sobre o caso, o TRE-ES tem enviado as seguintes informações: “O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), desembargador Annibal de Rezende Lima, recebeu o recurso especial eleitoral e deferiu, em sede de tutela cautelar, efeito suspensivo ao mesmo, mantendo Daniel Santana Barbosa, conhecido como Daniel do Açai, como prefeito de São Mateus. Portanto, até que haja manifestação do Ministro Relator do Recurso Eleitoral, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda a ser distribuído após o término do recesso, o acórdão recorrido do TRE-ES fica com sua execução suspensa diante da concessão do efeito suspensivo”.

Ninho tucano à míngua
O ex-prefeito de Vitória, o ex-deputado federal Luiz Paulo Vellozo Lucas já alçou voo do ninho do PSDB. Agora os tucanos correm o risco de perder mais dois do ninho que já começaram “bater as asas”: o deputado estadual Sergio Majeski e o prefeito de Vila Velha, Max Filho. O vice-governador César Colnago, presidente da sigla e o recém-chegado secretário de Estado da Agricultura, Octaciano Neto vão tocar o partido, sozinhos!

Clima tenso no PT
A saída do deputado federal Givaldo Vieira das fileiras do PT, criou um clima tenso com os petistas que ficaram como o ex-prefeito de Vitória, ex-deputado estadual e federal João Coser. Apesar de que, Givaldo não foi para muito longe, se filiou ao PCdoB, do Namy Chequer, eterno aliado do PT.

Sem grana do pagamento
O prefeito de Barra de São Francisco, Alencar Marim (PT) rasgou o verbo nas redes sociais, afirmando que não pagou o funcionalismo ontem, quarta-feira, porque está sem grana. O cofre está vazio porque a Prefeitura as contas bloqueadas em quase R$ 8 milhões, em processo do Ministério Público do Trabalho (MPT) que apontou irregularidades em contratações. A ação, diz ele, se arrastava desde 1998. Quem foram os prefeitos que passaram por lá neste período de 20 anos?

Feminicídio
“O feminicídio é um fenômeno muito mais grave que o homicídio.” Por Maria da Penha Maia Fernandes, vítima da violência que deu nome à Lei Maria da Penha!

Ao vivo?
Muitos integrantes do Supremo Tribunal de Justiça – STJ não gostaram nadica de nada do espetáculo midiático armado na última terça-feira para o televisionamento do julgamento do HC preventivo. As sessões são, obviamente, públicas, o que não significa dizer que são espetacularizadas. Ademais, foi escolhido a dedo o caso do ex-presidente para a estreia da transmissão ao vivo do canal da Corte no YouTube. Como prova do efeito nefasto da espetacularização, basta ver que o julgamento se estendeu por três horas e meia. Descontados os dez minutos de relatório e os 30 de sustentações orais (defesa e parquet), foram quase três horas para que cinco ministros proferissem votos. E isso em uma sessão com vários outros processos pautados, também com sustentações orais. Por que especificamente este caso? A bem da verdade, não fosse quem é o réu, o julgamento seria em lista, quando muito resolvido em poucos minutos. Isso se fosse conhecido o HC, porque, para muitos, a argumentação dos ministros para denegação da ordem, na verdade servia, fosse outro réu, como vestimenta perfeita para o não conhecimento do pedido.

Imunidade parlamentar
Rejeitada queixa-crime contra o deputado Federal Fernando Francischini, acusado de difamação e injúria por alegada ofensa a simpatizante do PT no Facebook. A decisão unânime da 1ª turma do Supremo Tribunal Federal – STF ocorreu ontem, quando o colegiado acompanhou o voto da relatora, Rosa Weber.

Porandubas políticas
Candidato? Sim. Flávio Rocha, empresário e CEO do Grupo Riachuelo, será candidato a presidência da República, segundo Gaudêncio Torquato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *