pega no sambaSexta escola a passar na avenida no dia das escolas do grupo especial capixaba, a Pega no Samba enfrentou chuva forte para trazer ao Sambão do Povo o chocolate. Em uma apresentação sem grandes erros para quem desfilou debaixo de um temporal incessante, a Pega contou a trajetória da iguaria desde os maias até as lavouras e produção de cacau e chocolate no Espírito Santo.

Participante da equipe responsável pela harmonia da escola, Irene Carneiro contou que a chuva pegou a escola de surpresa, “mas vamos desfilar para ganhar”. A auxiliar de serviços gerais tem 50 anos, mais de 20 deles dedicados à Pega no Samba.

Formada por cerca de 2,5 mil integrantes e quatro carros alegóricos, a escola empolgou o público que permaneceu no Sambão mesmo com chuva. A estudante Nayara Pereira, de 16 anos, saiu para a área aberta do camarote onde estava para sambar com as passistas da Pega no Samba. “Ano que vem pretendo estar na avenida junto com eles”, enfatizou.

Herança do samba

Lorena e Luiza dos Santos, filhas do presidente da escola, desfilaram pela primeira vez. Gêmeas de 16 anos, as meninas não esconderam a emoção de estarem participando do momento mais importante no ano da Pega no Samba. “É muito emocionante ver a escola na avenida”, contou Lorena.

Luiza frisou que o exemplo de Alex Santos foi crucial para a decisão de participar do carnaval. “A gente vê a dedicação dele pela escola. Sábado meu pai chegou em casa às 10 horas da manhã, tomou um banho e voltou para o barracão”.

As gêmeas comemoraram o tempo quase cravado de 1 hora de desfile e a provável permanência na elite do carnaval capixaba. “Para quem não saía da zona de acesso, estamos muito bem”, finalizou,

Enredo: “Na celebração ao chocolate, a Locomotiva dá um show!”
Compositores: Neyzinho do Cavaco, Breno Almeida, Junior Oliveira, Gabriel do Cavaco, Antônio Conceição e Girão

Chegou o Pega no Samba
Amor verdadeiro, celeiro de bambas
Comunidade da Show, Locomotiva avisa
Tem chocolate na avenida
Doce sabor, aroma de amor
Se espalha no ar
Divina semente dos Deuses
Fruto sagrado, um convite a viajar…
Caiu no gosto e na taça
Na graça, do imperador
Ih as antigas civilizações
Cultuando as tradições
Deu um tom especial
Entre maias e astecas, sou cacau!
Misturar com leite, pra sentir esse frescor
Ouro branco, negro preparado com amor
Doce, ou amargo é especial
A receita do meu carnaval
Ganhei, novas formas e cores
Prazerosos sabores
Ó doce tentação
Mostrei o meu valor, toquei seu coração
No mexe-mexe que é bom!
E quando amanhecer
É chegada a hora da nossa vitória
O povo na palma da mão
Nossa escola feliz a cantar
Espirito Santo cacau, vamos festejar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *