lelo_coimbra___bruno_barros__51_-165967Sustentabilidade do equilíbrio fiscal é a maior pauta do ano legislativo de 2018, segundo o deputado federal Lelo Coimbra (MDB). Os trabalhos na Câmara dos Deputados e Senado começam nesta terça-feira (6) e, na avaliação do parlamentar, é necessária muita cautela e responsabilidade dos deputados para debater Reforma da Previdência e Reforma Tributária.

Lelo destacou que, devido o ano eleitoral, os políticos precisam separar as agendas e respeitar o que é de interesse da sociedade. “Embora seja ano eleitoral, temos que ter muitas cautela e não tratar uma eleição 45 dias e não uma eleição de 365 dias. É preciso que separe o momento eleitoral e o momento de estar dando resposta ao equilíbrio fiscal que já precisa ser votado. Tem procedimentos em curso de interesse dos estados e dos municípios e da sociedade que precisam ser votados. Não dá para fazer eleição em fevereiro, março abril, maio, junho,  enquanto o Brasil fica esperando que 2019 chegue”.

Lelo destaca que a agenda começa pela Reforma da Previdência, se segue a agenda de Reforma Tributária mesmo que seja em modelo simplificado e com os temas de equilíbrio fiscal. “O governo saiu de uma previsão de déficit de R$158 bilhões para R$118 bilhões, um esforço fiscal grande e assim tem que continuar. Se a Reforma da Previdência for aprovada talvez outras medidas precisem ser feitas para fortalecer o equilíbrio fiscal 2018/2019. As agendas são essas e as agendas se encaixam”.

Com relação ao Espírito Santo, o medebista destaca como mais importantes movimentos de estado a concessão da CVRD – “que implica no tema da ferrovia Cariacica até Presidente Kennedy/Campos, que é Porto Açu” – o acompanhamento do contrato de concessão da BR 101 – “que nos importa muito e que em maio a revisão quinquenal do contrato, além do que em maio tem reajustes anuais” – o acompanhamento da BR 262, cujo canteiro está instalado na entrada de Paraju. “E temos uma pauta importante para fazer o estudo de concessão privada da área abrigada de Barra do Riacho, em Aracruz, esse estudo está em andamento e será entregue em abril e até dezembro tem que finalizar a concessão. Essa área da Portocel tem um impacto muito grande em nossa área portuária a ponto de podermos, se evoluir bem, até revisar o conceito de água profunda em Vitória e Vila Velha”.

Eleições
Lelo Coimbra é presidente do MDB, partido do presidente Michel Temer e do Governador Paulo Hartung, e já coordena os movimentos do partido para o pleito de outubro.  Ele disse que está cuidando dessa agenda paralelamente, já conversando com lideranças. “Estou conversando com as nossas lideranças para que até 31 de março estejamos prontos para conversar com outros partidos para formar alianças e coligações para o registro de agosto e até lá vamos conversar com outros partidos”.

Ele considera a possibilidade de entradas e saídas de lideranças existe, mas acredita que os sete deputados estaduais tende a ficar para se reelegerem no MDB. “Essa possibilidade é grande e novos (quadros) estão colocando seus nomes em nossos livros de registros para contribuir e concorrer. O sentimento é de construir a permanência de todos”.

Lelo é o único deputado federal da sigla e busca aumentar o número, enquanto, para o Senado, ainda, não haja uma indicação. Ele destaca que o partido vai se coligar e que o maior problema será a cota de mulheres. “Estamos conversando com outros de dentro e de fora (do partido), que possam chegar e fortalecer uma chapa que será coligada, pois o coeficiente eleitoral é muito grande. Ninguém faz legenda sozinho, nem para estadual e nem para federal. É importante destacar que para grupo de homem tem que ter uma mulher – a cada 15 homens tem que ter uma mulher para federal. Não é pela qualidade de mulheres é pela falta delas envolvidas na política, então estamos buscando, estimulando. Elas não tem se envolvido com as perspectiva de votos. Criou-se uma cota, mas ela virou armadilha, e é assim que surgem as candidaturas “laranjas”.

Segundo o presidente, o governador Paulo Hartung tem indicado que permanecerá na sigla, coordenando o processo eleitoral em busca da reeleição. “Temos uma gestão responsável, que consolidou o equilíbrio fiscal a duras penas e isso nos transformou em estado referencia para todo o Brasil. A responsabilidade do governador nesse processo é muito grande e tem meu respeito. Por isso que ele está habilitado para ser o condutor do processo no partido”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *