Em sessão do Tribunal do Júri realizada no dia 06/09, a justiça de Ecoporanga condenou três pessoas pelo assassinato de um homem, ocorrido em janeiro de 2016, no Distrito de Joassuba. A vítima foi morta com disparos de arma de fogo e golpes de facão, tendo sido decapitada pelos criminosos. O crime, ocorrido na Praça do Posto de Saúde, na cidade, teve grande repercussão no noroeste do Estado.

O principal acusado pelo crime foi condenado a 20 anos e 08 meses de reclusão, em regime fechado. De acordo com a sentença, as circunstâncias do crime são extremamente graves, pois o réu teria abordado a vítima com outros comparsas, “desferindo vários disparos de arma de fogo e, ainda, golpes de facão no pescoço, decapitando-a, além de arrastá-la pela rua e chutar a sua cabeça”, destaca a sentença do juiz Douglas Demoner Figueiredo, que presidiu o Tribunal do Júri.

O Júri reconheceu que a motivação do crime foi torpe, pois ele teria sido cometido pelo fato da vítima ter supostamente agredido o pai do acusado.

Além do assassinato, o réu ainda teria subtraído uma moto de propriedade da vítima após o homicídio.

De acordo com a sentença, não foi concedido ao réu o direito de apelar em liberdade, em razão do mesmo ser reincidente, por existirem outros mandados de prisão expedidos contra o mesmo e pelo fato de ter sido apreendido em outro município, “na tentativa de empreender fuga do distrito da culpa”, diz a sentença.

Os outros dois réus também foram condenados pelo Tribunal do Júri. O segundo réu recebeu a pena de 15 anos e 09 meses de reclusão, também em regime fechado. Já o terceiro réu, que era menor de 21 anos, à época do crime, foi condenado a 14 anos e 09 meses de reclusão, também em regime fechado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *