celularEm casa ou no trabalho, a tecnologia está cada vez mais presente nas nossas vidas. Muitas pessoas, e principalmente os jovens, chegam a passar diversas horas olhando para as telas dos smartphones, tablets ou computadores, por conta de assuntos profissionais ou apenas para o uso das redes sociais. Entretanto, o uso em excesso dessas tecnologias podem trazer problemas sérios aos nossos olhos.

A Universidade de Notthingham, na Inglaterra, realizou um estudo com jovens entre 18 e 33 anos para descobrir quantas horas os usuários passavam navegando na internet e o resultado foi surpreendente. As pessoas que participaram do estudo pegaram o celular mais de 85 vezes, o que corresponde a um total de mais de cinco horas com os olhos fixados à uma tela, causando um grande impacto na saúde ocular.

Segundo o Oftalmologista e Professor da Emescam, Bruno Valbon, o principal alerta das consequências do uso frequente dos smartphones e outros aparelhos eletrônicos se deve ao fato de que ao usar os dispositivos, o usuário pisca muito menos, causando a não lubrificação dos olhos, o que, por sua vez, pode colaborar para o surgimento de patologias oculares, como a Síndrome do Olho Seco.

“É importante sempre tentar piscar os olhos com mais frequência ao usar os smartphones, pois o uso frequente das tecnologias pode levar à Síndrome da Disfunção Lacrimal ou Olho Seco, que pode provocar inflamação na córnea, que por sua vez, leva a baixa qualidade de visão, atrapalhando as atividades diárias”, explica o médico.

De olho nas crianças

Pesquisas recentes afirmam que cerca de 66% das crianças já possui o próprio smartphone, tablet ou aparelhos similares. Expostos desde pequenos, as crianças se tornam mais vulneráveis a desenvolverem problemas de visão.

Segundo dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) , cerca de 15 milhões de crianças em idade escolar possuem problemas de visão como astigmatismo, miopia e hipermetropia no Brasil. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a miopia é a campeã das doenças oculares entre as crianças.

O especialista conta que os sintomas mais comuns em crianças com problemas oculares são: falta de interesse nas aulas, falta de concentração e timidez excessiva. “É na fase escolar que as doenças oculares podem prejudicar convívio social e aspectos emocionais, como a autoestima, pois a criança se sente diferente por não conseguir desempenhar tarefas com a mesma desenvoltura e coordenação motora das demais”.

Os cuidados com a visão são importantes em qualquer idade, mas na infância tornam-se fundamental já que a detecção precoce de qualquer doença é fundamental para o bom funcionamento da visão. É importante que os responsáveis passem a estipular um tempo para que a criança possa usufruir dos aparelhos tecnológicos. Além disso, é imprescindível passar por uma consulta ao médico oftalmologista.

Dicas importantes:

A consulta com o oftalmologista é de fundamental importância para a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças oculares;

Pause o uso da tecnologia por algum tempo, 10 min a cada hora de uso;

Lembre de picar ao usar os recursos tecnológicos, isso faz com que você proteja a superfície ocular. Somente utilize colírio prescrito pelo Oftalmologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *