Em noite especial para Jefferson, que se tornou o terceiro jogador que mais vezes vestiu a camisa do Botafogo, a equipe carioca não saiu do empate sem gols com o Ceará nesta quarta-feira, no Engenhão, em duelo válido pela 10.ª rodada do Brasileirão, e frustrou os planos de coroar a marca histórica do goleiro com uma vitória.

Com o resultado, o Botafogo não conseguiu embalar no torneio e ficou com 13 pontos, longe dos primeiros colocados. O Ceará, que estreou o técnico Lisca, permanece na lanterna, agora com quatro pontos, e sem nenhuma vitória na competição.

Ao entrar em campo, Jefferson passou o ex-zagueiro Valtencir para completar 454 jogos pelo clube carioca e agora só tem menos aparições que os ídolos botafoguenses Garrincha (612) e Nilton Santos (721). O goleiro teve um selo comemorativo estampado em sua camisa pela marca e, antes da partida, recebeu uma placa do presidente do Conselho Deliberativo do clube, Jorge Aurelio, pela marca histórica conquistada.

Na primeira etapa, com a dificuldade dos dois times em vencer as defesas, especialmente a da equipe visitante, que jogou com três zagueiros para conter as ações ofensivas do adversário, a tônica foram os chutes de fora da área.

O uruguaio Aguirre, com uma pancada de esquerda, foi quem chegou mais perto de abrir o placar. Mas o atacante botafoguense parou no goleiro Éverson. O lance mais perigoso do time cearense saiu dos pés de Pio, que cobrou falta de longe no canto direito de Jefferson, porém, viu o goleiro botafoguense buscar o chute.

A segunda etapa foi mais sonolenta. Com a mesma dificuldade de vencer o bloqueio defensivo armado pelo técnico Lisca, o Botafogo irritou a torcida no Engenhão, sobretudo após os erros seguidos do lateral Moisés, um dos piores em campo.

No final da partida, o time carioca ficou com um a menos. O zagueiro Yago, que havia entrado no lugar de Joel Carli, levou a pior em um choque de cabeça e, mesmo contra a sua vontade, saiu de ambulância do estádio, deixando o time com 10 jogadores, já que Valentim havia feito as três alterações. O defensor foi encaminhado ao hospital para fazer exames.

Com um a mais, o Ceará tentou aproveitar a vantagem numérica em campo e se atirou ao ataque, especialmente após a entrada do atacante Douglas Coutinho. Nos acréscimos – 10 minutos, em função da paralisação para Yago deixar o gramado -, a equipe de Fortaleza apertou os anfitriões, mas não o suficiente para vencer pela primeira vez no torneio.

Na próxima rodada, a 11.ª e penúltima antes da paralisação para a Copa do Mundo, o Botafogo vai a Salvador enfrentar o Bahia, na Fonte Nova. O Ceará, por sua vez, recebe o Palmeiras, no Castelão, em Fortaleza. Os dois duelos estão marcados para o próximo domingo, às 16 horas.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 X 0 CEARÁ

BOTAFOGO – Jefferson; Marcinho, Joel Carli (Yago), Igor Rabello e Moisés; Jean, Rodrigo Lindoso, João Pedro (Renatinho) e Leo Valencia; Aguirre (Luiz Fernando) e Kieza. Técnico: Alberto Valentim.

CEARÁ – Éverson; Valdo (Tiago Alves), Rafael Pereira (Douglas Coutinho) e Luiz Otávio; Pio, Fabinho (Naldo), Richardson, Ricardinho e Romário; Arthur Cabral e Felipe Azevedo. Técnico: Lisca.

ÁRBITRO – Leandro Pedro Vuaden (RS).

CARTÕES AMARELOS – Luiz Otávio, Richardson e Romário (Ceará).

RENDA – R$ 172.220,00.

PÚBLICO – 7.744 pagantes (8.825 no total).

LOCAL – Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Ricardo Magatti, especial para a AE
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *