Fernanda Almeida

Fernanda Almeida é casada, mãe de dois filhos, sommeliére inserida no mundo do vinho há 8 anos.

GewurztraminerPara explorar um pouco mais sobre uvas viníferas, seus aromas e sabores, hoje vamos falar de uma casta distinta na produção de vinhos brancos com um toque de mineralidade e aroma peculiar: Gewurztraminer. 

Esta casta lembra lichia, rosas, damasco, gengibre, abacaxi, manga e pode ser bastante apimentada. É inconfundível, se trata de uma variedade que possue pele mais grossa e rosada. Para os estudiosos do mundo do vinho, o prefixo “gewurz” significa especiaria em alemão, e faz referência a grande variedade de aromas encontrados nos vinhos produzidos a partir dela. 

A origem da Gewurztraminer ainda é muito discutida, mas sabemos que a cepa obtém muito sucesso nos vinhedos da Europa tendo grande destaque na região da Alsácia (França) e na Alemanha. Também muito cultivada em países do novo mundo, como Chile, Brasil, Austrália e Nova Zelândia.    

Uma cepa versátil que pode originar vinhos brancos secos marcantes e envolventes, aromáticos e encorpados e até maravilhosos vinhos doces de sobremesa, se trata de uma uva de difícil cultivo e baixos rendimentos. Seus vinhos são de coloração intensa que vai de um amarelo escuro ao dourado, com presença de acidez bastante delicada para que a maioria dos seus exemplares seja apreciado quando jovens. Porém, muitos dos rótulos produzidos na Alsácia possuem acidez viva e marcante tendo mais estrutura.       

Por se tratar de uma cepa que produz vinhos brancos secos de aromas intensos e de bom corpo, que acompanha bem com pratos condimentados, destacando a gastronomia tailandesa, chinesa e indiana. Já as versões adocicadas contrastam e criam uma experiência gustativa única com sobremesas que possuem frutas como base.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *